Município de Guimarães é o mais sustentável de 2018

Data:

O município de Guimarães é o mais sustentável de 2018, alcançando a melhor pontuação no programa ECOXXI, uma iniciativa da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), destinada a premiar as boas práticas e políticas ambientais dos municípios portugueses.

Os resultados foram apresentados durante a cerimónia de entrega das bandeiras verdes de sustentabilidade a 47 autarquias, que decorreu em Estarreja.

Além de Guimarães, a lista de municípios mais sustentáveis de 2018 integra os municípios de Lousã, Loulé, Águeda, Pombal, Âlfandega da Fé e Loures, que obtiveram um índice igual ou superior a 80% nos 21 critérios analisados.

Guimarães alcançou a pontuação mais elevada em critérios como a promoção da educação ambiental, informação disponível aos munícipes, cooperação com a sociedade civil e na qualidade do ar e informação ao público.

De acordo com os dados apresentados, o índice médio ECOXXI obtido foi de 65%, mais três pontos percentuais do que em 2017, o que leva os responsáveis pelo programa a concluir que os municípios portugueses estão mais sustentáveis.

“Ao fim deste tempo olhamos para os municípios ECOXXI e encontramos territórios mais ordenados, concelhos mais capazes para se adaptarem às alterações e às pressões climáticas, sociais e económicas que todos os dias nos colocam novos desafios, comunidades mais próximas mais participativas e locais onde as pessoas se sentem felizes e querem continuar a viver”, disse José Archer, presidente ABAE.

O mesmo responsável comparou o ECOXXI a uma “bússola”, adiantando que este instrumento permite “medir o progresso e o desempenho que cada município tem em cada ano, neste caminho da sustentabilidade”.

Em 2018, foram submetidas 50 candidaturas (menos três do que em 2017) e 94% dos candidatos (47 municípios) alcançou índices acima dos 50%, limite para a atribuição da bandeira verde.

A grande maioria dos municípios candidatos obteve um índice ECOXXI compreendido entre 60% e 79%.

A certificação de sistemas de gestão e a qualidade do ambiente sonoro são os dois indicadores onde os municípios têm mais dificuldade em pontuar, com uma média abaixo dos 50%.

Em sentido contrário, os índices com melhores pontuações são a qualidade da água para o consumo humano, a informação disponível para os munícipes e a conservação da natureza e biodiversidade.

Na edição de 2018 do programa, dois municípios candidataram-se pela primeira vez (Lages das Flores e Vila Nova de Poiares), enquanto Bragança, Celorico da Beira, Lousada, Vila Nova de Gaia e Oeiras não renovaram a sua candidatura.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.