Militar detido por homicídio de comando no quartel da Carregueira

Data:

Um soldado foi detido pela Polícia Judiciária Militar por suspeita de estar envolvido na morte de um camarada militar no Regimento de Comandos, vítima de um disparo por arma de fogo.
Fonte oficial do exército confirmou que a PJM e o Ministério Público estiveram esta quarta-feira no Regimento de Comandos para deter um militar. A mesma fonte referiu ainda que a arma usada foi uma G3.
Os factos remontam a 21 de setembro de 2018, quando o militar Luís Teles morreu, vítima de um disparo por arma de fogo, no Regimento de Comandos, na serra da Carregueira, em Sintra.
O comunicado refere ainda que o detido vai ser presente a interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.
Recorde-se que os contornos da morte do militar de 23 anos no quartel do Regimento dos Comandos, na serra da Carregueira, em Sintra, foram-se revelando cada vez mais complexos.
A primeira versão dos acontecimentos, e o que inicialmente foi relatado à família do militar, dava conta de que Luís Teles estaria à civil quando pediu uma G-3 a um colega, fazendo um disparo de seguida, sugerindo que a morte se tinha tratado de um suicídio.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.