Alcanena aprova cedência urgente de habitação a família da Venezuela

Data:

A Câmara de Alcanena vai ceder, gratuitamente, durante 90 dias, uma casa a uma família com sete elementos recentemente regressada da Venezuela e que se encontra a residir “sem as necessárias condições de habitabilidade”, foi hoje anunciado.

Em comunicado, o município de Alcanena (Santarém) afirma que a família vai ser instalada num apartamento T3, no bairro social Timor Lorosae, equipado em 2017 para receber uma família de refugiados que, entretanto, abandonou o concelho, tendo três meses para encontrar uma habitação permanente.

“Trata-se de um agregado familiar em difícil situação socioeconómica, com existência de problemas graves de saúde, que, devido à situação de precariedade em que se encontra, tem vindo a ser acompanhado pelos serviços de Ação Social do município”, afirma a nota, adiantando que foram estabelecidos contactos com o Ministério Público, Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Agrupamento de Escolas de Alcanena, onde as crianças serão integradas, Junta de Freguesia de Minde, instituições e estruturas de apoio social e empresas locais.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.