Estudar no estrangeiro atrai cada vez mais brasileiros

Data:

A cidade de São Paulo recebe neste fim-de-semana a ExpoPós, destinada a quem queira frequentar uma universidade estrangeira. O Instituto Superior de Engenharia do Porto e a Universidade do Algarve marcam presença.

Com mais de 100 instituições representadas por mais de dez países, a ExpoPós apresenta-se como a maior e mais importante feira de educação superior da América Latina.
Depois de passar pelo Rio de Janeiro, acontece este fim-de-semana, 24 e 25 de novembro, no Tivoli Mofarrej (Alameda Santos, 1437 – Cerqueira César) em São Paulo, entre as 14h e as 19h.
Na edição deste ano da ExpoPós estão presentes instituições de ensino superior de Alemanha, Austrália, Bélgica, Canadá, China, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Irlanda, Japão, Nova Zelândia, Portugal, Reino Unido, Rússia, Suécia e Suíça, com uma oferta de cursos nos graus de graduação, pós-graduação, especialização, mestrado, MBA, doutoramento e ainda cursos executivos de curta duração.
Segundo dados da BMI, organizadora da ExpoPós, em 2018, dos alunos que demonstraram vontade de estudar fora do Brasil cerca de 18% pretendem fazer o curso de pós-graduação no exterior e mais de 30% relataram interesse em fazer MBA. A pesquisa analisou a intenção de mais de 40 mil estudantes que se cadastraram nos eventos de educação internacional realizados entre os meses de março e setembro.
“A experiência no estrangeiro abre portas de emprego e chega a ‘turbinar’ em até 50% o salário do profissional, quando este retorna ao solo brasileiro”, refere a organização da ExpoPós numa nota de imprensa.
Segundo Samir Zaveri, diretor da BMI, os brasileiros são atraídos por conta da qualidade do ensino no exterior e também pela forma como os estudos são conduzidos lá fora. “Aqui no Brasil, os cursos de pós-graduação e MBA são muito teóricos. Nas universidades internacionais a carga prática é muito maior, com direito a simulações e vivências reais do mercado em que se atua e isso faz todo a diferença”, conclui.

São Paulo recebe neste fim-de-semana a ExpoPós.ISEP e UAlg presentes

No espaço da feira haverá a realização e vários seminários, apresentados por universidades estrangeiras. A Universidade do Algarve vai apresentar no dia 25, domingo, das 18h às 18h30, o seminário ‘Algarve, Portugal – Estudar onde é bom viver’
Para além da Universidade do Algarve (UAlg), marca presença também o Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP). Fundado em 1852, o ISEP oferece um plano de estudos constituído por licenciaturas e mestrados nas diversas áreas da Engenharia.
A Universidade do Algarve foi criada em 1979 e atua nas áreas da Saúde, Ciência e Tecnologia, Gestão, Economia, Ciências Sociais, Ciências do Mar e da Terra. É reconhecida pela excelência nas áreas do Mar, Saúde e Turismo.
Uma das faculdades portuguesas que mais recebem alunos brasileiros, a UAlg busca estreitar ainda mais os laços com estudantes do Brasil com a participação na ExpoPós. O stand também contará com alunos e ex-alunos brasileiros da UAlg, para compartilharem as suas experiências.
A universidade do Sul de Portugal tem sido presença constate em eventos do setor de educação no Brasil. “Os estudantes brasileiros representam nossa maior comunidade internacional. O interesse tem crescido a cada ano, e nosso objetivo é estar cada vez mais próximo desse público”, assume André Botelheiro, coordenador de comunicação da instituição, que estará presente na feira.
Nos últimos quatro anos, o crescimento do número de alunos oriundos do Brasil nesta universidade foi de 190%, revela numa nota de imprensa, referindo que atualmente cerca de 900 brasileiros estudam na UAlg.
Destes, mais de 500 frequentam um curso de graduação, após ingressarem com nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e os restantes realizam intercâmbio ou cursos de pós-graduação (mestrados ou doutoramentos).

Gastos não são “proibitivos”

Segundo a organização da ExpoPós, para além valorização que traz um curos numa universidade estrangeira, há outras questões que “dão um empurrãozinho” na hora de optar por realizar o curso lá fora.
“Os gastos são maiores, mas não chegam a ser proibitivos”, refere na nota de imprensa, onde revela que a média paga por um estudante brasileiro num curso de pós-graduação no Brasil, é de dez mil dólares. “Nos Estados Unidos, o valor empregado é de 30 mil dólares. Na Europa, o investimento é de cerca de 12 mil dólares”, afirma a organização da ExpoPós.
A BMI aponta comos destinos prediletos dos brasileiros, os EUA quando o assunto é pós-graduação, seguido de Canadá e Portugal. Para MBA os preferidos são Estados Unidos, Canadá, Portugal, Reino Unido, Alemanha e Austrália. As áreas mais procuradas são Administração (Gestão), Marketing, Engenharia e Design.

Ana Grácio Pinto

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.