Óbidos vai regressa à Idade Média com o Mercado Medieval

Data:

E o Mercado Medieval está de regresso a Óbidos, desta vez com o elemento água como tema

De 12 de julho a 5 de agosto, a vila medieval de Óbidos regresa, mais uma vez, à idade Média. O Mercado Medieval estará aberto de quinta a domingo, com um leque de atividades e uma programação variada.
“A água é o sangue da terra. A água o dá, a água o leva”, é o mote da edição deste ano.
Fonte de superstição e do medo, de fertilidade e do imaginário, elemento fundamental na paisagem e bem constante em afazeres comuns, a água é uma força da natureza essencial à vida nos tempos medievos.
Recurso natural presente no quotidiano dos diferentes estratos sociais, criou hábitos e culturas e foi presença marcante no imaginário do homem medieval na música, na pintura, no teatro, na literatura, nas narrativas de histórias e estórias.
“No Mercado Medieval de Óbidos venha navegar entre cheiros e sabores das tabernas e bancas garridas, avistar trovadores, danças e momices, rumo aos ofícios e mesteres, entre armas e cavaleiros”, convida a Câmara Municipal de Óbidos.

Pelas ruas da vila e ainda na Escadaria de Santiago, no Terreiro de Armas ou na Praça dos Trovadores, ao longo do dia e pela noite a dentro, inúmeras atividades vão cionvidar os visitantes a voltarem vários séculos no tempo.
Quem quiser entrar totalmente no ‘clima’ da Idade Média, pode ainda alugar trajes da época.
Um dos destaques do Mercado Medieval é a cozinha medieval, que poderá ser degustada aos ‘pés’ do castelo.
Na Idade Média, excetuando alguns períodos de maiores dificuldades económicas ou de cataclismos naturais, a alimentação da população, incluído todos os estratos sociais, seria razoável e suficiente para as necessidades nutricionais da época.
As principais refeições do dia eram o jantar e a ceia. Jantava-se, nos finais do século XIV, entre as dez e as onze horas da manhã e a Ceia tomava-se por volta das seis ou sete horas da tarde, muito próximo do anoitecer.
A cozinha medieval pode ser considerada simples. Os principais temperos baseiam-se no vinho, sumo de citrinos, utiliza-se o azeite, a manteiga para cozinhar e as especiarias para condimentar. Existe o gosto pelo colorido e brilho dos pratos, e por isso utilizavam o açafrão para o amarelo, o sândalo e o pimentão para o vermelho, a couve roxa para os azuis.
Pode consultar o programa em: http://mercadomedievalobidos.pt/mm17/wp-content/uploads/2018/07/programa.pdf

Informações úteis
Mercado Medieval de Óbidos 2018
Quintas de sextas, das 17h à 01h; sábados, das 11h à 01h; domingos, das 11h às 24h
Entrada gratuita até aos 11 anos
Dos 12 anos em diante: € 7
As bilheteiras encerram:
Na Porta da Vila as bilheteiras encerram às 22h30, de quinta a sábado; às 22h, aos domingos
Na entrada de São Tiago as bilheteiras encerram às 24h30, de quinta a sábado; às 23h30, aos domingos

Serão Medieval
Às quintas, sextas e sábados
Dos 3 aos 11 anos: €15
Dos 12 anos em diante: €39,90
Inclui a entrada no evento + traje + lugar reservado no torneio medieval das 19h30 + ceia medieval

Aluguer de trajes
Associação Josefa de Óbidos (Espaço Ó): €5,00
Quarta, das 14h às 19h; quinta e sexta das 14h à 01h; sábado e domingo, das 11h à 01h
www.mercadomedievalobidos.pt

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.