Morre uma pessoa a cada dois dias nas estradas portuguesas

Data:

A Prevenção Rodoviária Portuguesa revela num relatório recente que, entre 2010 e 2016, morreu um peão a cada dois dias nas estradas portuguesas.

O relatório da Prevenção Rodoviária Portuguesa (PRP) reúne com dados relativos aos atropelamentos ocorridos em Portugal Continental
Entre 2010 e 2016 morreram atropelados nas estradas portuguesas 1111 peões, o que representa uma pessoa morta a cada dois dias.
Portugal apresenta, assim, uma taxa de mortalidade nos peões acima da média europeia. Por cá há 14 peões mortos por milhão de habitantes, enquanto na média da União Europeia refere 11 mortos por atropelamento nas estradas.
Para o presidente da PRP, estes são números inaceitáveis. “Apesar da redução no número de vítimas mortais atropeladas entre 2010 e 2016 (-37%), continuam a morrer todos os anos mais de 100 peões, o que é inaceitável”, afirmou José Miguel Trigoso.
“Além disso, não se tem registado uma descida do número de feridos graves nem feridos leves. Estes dados mostram a necessidade de implementar medidas que invertam a situação”, acrescentou.
Os atropelamentos são os acidentes com consequências mais graves: apesar de representarem 16% do total de acidentes com vítimas, originam percentagens mais elevadas de mortos (22,3%) e de feridos graves (20%).
São os homens que sofrem as consequências mais graves: representam apenas 44% dos feridos leves, mas são 62% das vítimas mortais.
Os peões jovens, sobretudo dos 15 aos 19 anos, e os mais velhos (≥ 65 anos) são os que apresentam maior risco de serem atropelados.
“No entanto, a taxa de mortalidade é muito mais elevada nos peões com 65 ou mais anos, o que é explicado pela menor resistência física”, refere o relatório da PRP.
Embora a grande maioria dos atropelamentos seja provocada por veículos ligeiros (91%), são os pesados e os motociclos que provocam ferimentos mais graves nos peões que atropelam. O relatório desta ainda que os atropelamentos ocorridos durante a noite e madrugada originam ferimentos mais graves.
O relatório apresenta ainda dados dos atropelamentos ocorridos nos concelhos de Lisboa e do Porto, onde mais de metade das vitimas mortais de acidentes rodoviários são peões.
Em Lisboa, a Avenida 24 de Julho e a Estrada de Benfica são as ruas com mais atropelamentos, já no Porto, entre 2010 e 2016, foram a Estrada da Circunvalação e a Avenida Fernão de Magalhães.

Ana Grácio Pinto

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.