Nazaré: Nova unidade de saúde representa investimento de 1,4 milhões de euros

Data:

A Nova Unidade de Saúde da Nazaré será uma realidade dentro de meses. A obra representará um investimento de 1.413.876,10 euros, com a comparticipação FEDER de 950.300,00 euros e da ARSLVT de 463.576,10 euros.
As insuficiências crescentes para a prestação de cuidados de saúde e a necessidade de promover uma alteração no sentido de melhoramento das condições em que os referidos cuidados de saúde são prestado à população, levaram a que o Município da Nazaré indicasse a construção da nova Unidade de Saúde da Nazaré como um investimento prioritário para o concelho, tendo sido enquadrado no exercício de planeamento da saúde (mapeamento) para a Região Centro, enviado e aprovado pela Comissão Europeia sob referência n.º REGIO/DGA2.G.3/AMC/ga, e inscrito no Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial da Comunidade Intermunicipal do Oeste.
O objetivo principal foi a construção de uma nova Unidade de Saúde, na Vila de Nazaré, destinado à substituição do edifício pré-fabricado, instalado como provisório desde a década de 80, e onde funcionaram, até à data, as instalações da Unidade de Saúde Familiar (USF) Nazareth e USF Global, bem como, serviços da Unidade de Recursos Assistenciais Partilhados (URAP), Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC) e Unidade de Saúde Pública (USP).
A nova infraestrutura irá dar resposta aos requisitos atuais das infraestruturas físicas de prestação de cuidados de saúde primários, basicamente, pela melhoria dos espaços, contribuindo para uma melhoria na qualidade da prestação de cuidados médicos, de enfermagem, atendimento dos utentes, possibilitando ainda a melhoria das condições de trabalho dos profissionais da saúde. Para além disso, responderá de forma adequada às necessidades atuais e futuras da população abrangida, pela melhoria da oferta existente, promovendo o desenvolvimento sustentável, o reforço da acessibilidade, a equidade e a coesão social.
Esta infraestrutura contribuirá para o desenvolvimento da rede de prestação de cuidados de saúde primários na área territorial da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo através de respostas qualificadas e integradas, atendendo à dinâmica demográfica existente, e ao facto de ser expectável um crescimento das necessidades em saúde, em função do aumento do envelhecimento da população, da cronicidade de doenças e das alterações epidemiológicas.
A nova Unidade de Saúde da Nazaré mobilizará o Eixo 5 do Centro 2020 – “Fortalecer a Coesão Social e Territorial”, no Objetivo Temático 9 – “Promover a inclusão social e combater a pobreza”, na Prioridade de Investimento (PI) 9.7/9a “Investimento na saúde e nas infraestruturas sociais que contribuam para o desenvolvimento nacional, regional e local, para a redução das desigualdades de saúde, para a promoção da inclusão social através de melhor acesso aos serviços sociais, culturais e de recreio, assim como para a transição dos serviços institucionais para os serviços de base comunitária”, no Objetivo Específico de “reforçar a rede de infraestruturas sociais e de saúde”.
O novo equipamento de saúde terá capacidade para o atendimento de uma população de 22.800 utentes.
O Município da Nazaré, a seu encargo, irá previamente proceder à demolição das atuais instalações do Centro de Saúde da Nazaré, distribuídas em piso térreo por uma área de implantação de 1150 m2 num lote de terreno com uma área aproximada de 2300 m2, cujas características funcionais e originais da construção se encontram desajustadas à real e atual necessidade de prestação de cuidados de saúde na Nazaré.
No lugar das instalações provisórias, nascerá uma referência arquitetónica contemporânea e de carácter inovador, cuja imagem está fortemente associada à natureza do serviço e da função a que se destina, com impacto positivo na comunidade em que se insere.
O edifício carateriza-se por uma linguagem arquitetónica simples, sóbria e moderna num jogo de volumes/formas e planos brancos, interrompidos por superfícies de cor azul estrategicamente posicionadas. Destaque ao corpo Sul, com 2 pisos em resultado de um volume elevado e balançado ao nível do 1º piso, como forma de destaque e de integração ou colagem visual num conjunto habitacional implantado a Nascente, dissonante da restante envolvente pelas suas características arquitetónicas contemporâneas.
A solução que se apresenta responde ao programa funcional de referência, distribuído por 2 pisos numa área total de construção de 1454 m2, dos quais 1018 m2 destinam-se à implementação do programa em piso térreo.
A implantação proposta em “U” formando um pátio ao centro, permite uma organização interna particularmente interessante em matéria de economia de percursos e na circulação fácil, clara e intuitiva, distribuída por 2 corpos a Norte e a Sul respetivamente, ao qual corresponderão duas unidades de saúde (US) e respetivas áreas de apoio. Ao piso 1 destina-se o designado “Módulo Polivalente” com algumas valências funcionais de apoio geral ao corpo clínico e administrativo.
Assim sendo, e à semelhança do que acontece atualmente, privilegia-se o lado Poente para o acesso principal de utentes ao interior do edifício, com ligação central e direta às zonas de atendimento administrativo, receção e espera. Deste conjunto de espaços nascem e se desenvolvem duas circulações laterais a Norte e a Sul criadas para os acessos aos gabinetes de consultas, enfermagem e tratamentos, num total de 26 salas e respetivas áreas de apoio devidamente separadas e instaladas no topo Nascente, com a possibilidade de acesso ao exterior para a realização de tarefas de serviço e abastecimento.
Ao piso 1, conforme já referido destinam-se em menor número alguns dos gabinetes de trabalho e atendimento da unidade de saúde pública (USP), unidade de cuidados comunitários (UCC) e a unidade de recursos assistenciais partilhados (URAP), bem como espaços de acesso limitado e exclusivos do pessoal, como é o caso da sala de reuniões e formação, ou a cafetaria com pequeno terraço exterior de apoio.

Modelo de Gestão das Infraestruturas

Após conclusão das infraestruturas, a gestão da Nova Unidade de Saúde da Nazaré será assegurada pela administração da ARSLVT, assim como a manutenção e conservação da infraestrutura, dentro das suas funções e competências próprias.
A manutenção e conservação dos espaços exteriores da nova Unidade de Saúde será da responsabilidade do Município da Nazaré, que através das suas equipas irá acompanhando e monitorizando os espaços exteriores da infraestrutura, por forma a acionar as intervenções necessárias.

Investimento nos cuidados de saúde e bem-estar

A operação, que será visível no terreno dentro em pouco, irá dotar a população de uma oferta com os requisitos associados às infraestruturas físicas inerentes à prestação de cuidados de saúde primários, no essencial, através da melhoria dos espaços e que contribuem para uma melhoria na qualidade da prestação de cuidados médicos, de enfermagem, atendimento e acolhimento dos utentes e que possibilitam, em simultâneo, uma melhoria das condições de trabalho dos profissionais.
A saúde representa um fator fundamental para a promoção do desenvolvimento e bem-estar das populações, pelo que a concretização da operação assume um papel importante para o reforço do acesso e qualidade assistencial da população a abranger.
O projeto assume um papel importante na redução das assimetrias locais e representa uma melhoria de acesso dos utentes aos cuidados de saúde primários, em termos de infraestruturas. Prevê-se, assim, a melhoria do acesso, bem como um aumento da qualidade assistencial, esperando-se a obtenção de ganhos em saúde no território a abranger, através da prestação de um nível de serviços adequado, numa perspetiva de melhoria contínua e de contribuir para as metas estabelecidas na área da Saúde.
Face à dinâmica demográfica, nomeadamente o acréscimo da população sénior é expetável um aumento da procura da prestação de cuidados de saúde, sendo que a melhoria dos serviços de proximidade se assume como particularmente relevante, enquanto resposta fundamental na comunidade.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.