As casas gandaresas vão integrar oferta turística em três concelhos

Data:

As tradicionais casas gandaresas em Vagos, Mira e Cantanhede vão integrar uma rede de alojamento local

As Câmaras de Vagos, Mira e Cantanhede apresentam hoje o projeto de uma rede de unidades de alojamento local instaladas nas tradicionais casas gandaresas, financiado pela Linha de Apoio à Sustentabilidade do Turismo de Portugal.
Denominado ‘Gândara TourSensations’ , o projeto “tem como ambição estruturar uma rede de unidades de alojamento local ancorada nas casas gandaresas (identidade exclusiva e com marca própria), integrando-a nas ofertas turísticas da região, enquanto produto distintivo, e em complementaridade com os demais produtos turísticos da região da Gândara”.
Casa tradicional rural característica da região da Gândara (que se estende no sentido norte-sul desde as Gafanhas da ria de Aveiro até aos campos do Baixo Mondego, confinando com a Bairrada), a Casa Gandaresa é uma construção térrea de formato em “L”, com pátio fechado, telhado de duas águas e construída de adobes de areia e cal, secos ao sol.
A frente da casa é formada por uma sequência janela – porta – janela e um largo portão de duas folhas, que permitia a passagem, para dentro e para fora, dos carros de bois e respetivas carradas de produtos agrícolas.

Uma aposta de preservação

Nos últimos anos, as três autarquias têm apostado na recuperação e preservação da Casa Gandaresa, cujo revestimento de vãos de janelas e portas é feito com pedra de cantaria, originária de Ançã (Cantanhede). Em Mira, a autarquia ergueu mesmo fachadas simbólicas de diversas casas gandaresas nas freguesias.
O projeto ‘Gândara TourSensations’ é promovido pelas três autarquias do ‘coração’ da Gândara (Vagos, Mira e Cantanhede), liderado pelo município de Vagos, e com coordenação da Universidade de Aveiro.
Segundo os promotores, o projeto procura aprofundar o conhecimento sobre a cultura gandaresa e, especificamente, da Casa Gandaresa.
“Pretende-se criar a base para um processo sustentado de preservação e valorização destes ativos, conferindo-lhes novas valências e funções, no âmbito particular das atividades turísticas, capaz de mobilizar a comunidade local e dinamizar as respetivas bases económicas locais, no estrito respeito pelo caráter distintivo da arquitetura que define a Casa Gandaresa (princípio basilar no processo de intervenção física destas unidades)”, explicam.
Com um prazo de execução de 24 meses, o projeto representa um investimento de 287.500 euros, cofinanciado com 80% de valor não reembolsável pelo Turismo de Portugal.
Segundo os promotores, o ‘Gândara TourSensations’ será também uma oportunidade para “aprofundar o conhecimento sobre a cultura gandaresa”, nomeadamente através de “ações de pesquisa bibliográfica e de análise documental junto das bibliotecas nacionais de referência, dos centros de conhecimento da região (Universidades de Aveiro e de Coimbra) e das diversas bibliotecas municipais”.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.