Parque da área de descanso da A25 de Celorico da Beira com “crateras” no pavimento

Data:

 

Quem circula na A25 que liga Vilar Formoso a Aveiro e que veio substituir a antiga IP 5, encontra algumas áreas de serviço, onde os utentes da via, podem abastecer combustível, ou fazer as suas pausas. Algumas delas, com mais movimento que outras, são usadas pelos muitos condutores de camiões que tem que fazer as suas pausas de descanso.

Numa via, portajada, é direito dos utentes da via, encontrar áreas de serviço limpas, com condições e parques com segurança. Porém no sentido nascente – poente entre a saída 28 para a localidade de Açores ao Km 147 e a saída 27 ao Km 145 e que dá a cesso a Ratoeira, Celorico da Beira (Este) e Trancoso, encontramos a Área de Serviço concessionada à Galp, que mais parece uma área de serviço abandonada. Apesar do posto de combustíveis disponibilizar os mesmos ( gasolina, gasóleo) água e ar e, casas de banho pouco mais, encontramos. O restaurante que fica num edifício muito próximo, está encerrado. Mas pior que tudo isto é o estado de degradação do piso da área de aparcamento, com buracos no pavimento que mais parecem crateras e em quantidade tal, que um pesado com dificuldade os passa, e que uma viatura ligeira vai arrastar-se pelo chão. É inadmissível, numa via, umas das principais “portas” de entrada em Portugal,  o estado de desleixo a que está área chegou, conforme a nossa reportagem constatou

“Crateras” no piso da área de descanso (Foto António Freitas/MP)

Área muito usada pela Brigada de Trânsito da GNR

Esta área de serviço, dado ter passagem inferior, não assinalada, mas que permite inverter o sentido de marcha, não para os utentes da via, mas mais para serviço, é uma das áreas de “excelência e preferência” para a Brigada de Trânsito da GNR, fazer as suas ações de fiscalização ao controle de velocidade. Dado esta via registar um elevado índice de mortes por acidentes motivados pelo excesso de velocidade –  na zona de Açores, entre o KM 147 e 145, é estrategicamente colocado –  por vezes uma viatura da GNR, descaracterizada com radar e,  um Km à frente agentes em motos. Ás viaturas que excedam os limites de velocidade e controladas é comunicado aos agentes que “arrancam” com as suas motas e seguem a viatura para a mandar encostar nessa área de serviço, onde legalmente outro agente em automóvel, passa o respectivo auto de contra-ordenação. Após conduzirem os infractores, para identificação e pagamento na hora da coima, usam a passagem inferior para se voltarem a posicionar, novamente, no mesmo sentido em que estavam, usando a saída de Açores e voltando a posicionar-se na A25. Portanto por questões de segurança rodoviária e não se ficar sem pontos na carta de condução e dinheiro fora da carteira, é mais prudente seguir o estipulado no limites de velocidade estipulados por sinalização gráfica ou os 120 Km. A A25 é propícia a exceder a velocidade, mas dado os seus declives e curvas, exceder a velocidade máxima, é muito perigoso, por isso a ação de controle da GNR, é necessária e dissuasora.  No dia em que usámos esta área de serviço e,  constatámos o seu péssimo estado,  a nível de pavimento, eram dezenas de viaturas ligeiras, que eram mandadas encostar.  Para além disso há,  nesta A25 alguns radares fixos e devidamente sinalizados que “disparam” à velocidade. Por isso o nosso conselho é, não exceder os limites de velocidade impostos, para sua segurança e dos outros utentes da via e, assim evita multas.

António Freitas

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.