Vêm aí cerca de 10 mil toneladas de cereja da Cova da Beira

Data:

 

As primeiras cerejas deste ano começaram  a chegar à banca e aos mercados de Lisboa. As genuínas, as bem portuguesas as cerejas de Resende e da Cova da Beira, as excelentes cerejas do Fundão. Para as bandas da Cova da Beira, foi a Dª Alzira Maceiras que “inaugurou” o espaço de vendas junto às Donas, no Fundão. Natural desta localidade, mas com pomar na zona da Capinha, Alzira tem quase sempre “cereja de cedo”. São as mais apetecidas e, por tradição, as mais caras. A Dª Madalena de Alcongosta vai também começar a apanhar as mais temporãs. No mercado de Arroios o preço da cereja do Fundão ao público por Kg ronda os 9,00 Euros.

Para as bandas do Fundão, as primeiras cerejas a sete euros e meio o quilo. Três dias depois já tinha baixado o preço para sete euros e a redução vai continuar.
“Agora a tendência é baixar. E nesta fase vendem-se um bocadinho mais caras porque temos mais custos e mais trabalho. Como ainda há pouca temos de dar várias voltas à árvore. Colhemos uma aqui, outra ali e demoramos muito mais tempo para colher uma caixa”, explicam os produtores.


Aí estão as cerejas da Cova da Beira nos Mercados de Lisboa (Foto António Freitas/MP)

Em termos globais, a Câmara Municipal do Fundão acredita que a produção deste ano possa chegar às sete mil toneladas às 10 mil toneladas. Um verdadeiro “ouro” da Cova da Beira.

Área de cerejal tem aumentado na Cova da Beira

A área de cerejal na Cova da Beira tem aumentado e há cada vez mais investidores de diferentes setores a apostar na produção de cereja, comprovam os projetos que estão a ser concretizados na região.
O cadastro de terras demonstra que, em 20 anos, na Cova da Beira, a área plantada com cerejeiras quase duplicou: passou-se de 1.079 hectares, em 1989, para 1.868 hectares, em 2009, de acordo com os dados facultados pela Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro.

Daí para a frente, o levantamento ainda não foi realizado, mas os investimentos continuam a ser realizados e a bom ritmo.
Por exemplo, um pomar, que atravessa as freguesias de Peraboa e Ferro (Covilhã), é um dos maiores pomares contínuos de cerejas do país e é apenas uma parte do projeto delineado por Paulo Ribeiro.

Venda de Cereja em Donas (foto António Freitas/MP)

Até 2017, este empresário pretende ter 100 hectares de cerejeiras plantados e nesse ano conta colher 500 toneladas de cereja, número que deverá duplicar quando a produção estiver em pleno.
Nessa altura, Paulo Ribeiro terá investido um total de dois milhões e meio de euros, um milhão e quatrocentos mil dos quais já concretizados.

António Freitas

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.