Navio-Escola Sagres prossegue viagem rumo a Filadélfia

Data:

O navio-escola Sagres largou no dia 03 de maio, do porto do Funchal, onde em apenas dois dias de vistas recebeu a bordo mais de 2400 pessoas, e prossegue a sua viagem rumo a Filadélfia. Esta foi a 37ª visita do navio ao porto do Funchal, o porto mais visitado pelo navio ao longo dos seus 80 anos de história, dos quais 55 ao serviço de Portugal.

Sagres rumo ao Tallships Festival 2018

Entre 24 e 28 de maio estará no porto de Filadelphia onde irá participar no Tallships Festival 2018 na companhia de outros veleiros convidados.

O NRP Sagres partiu da Base Naval do Alfeite no dia 27 de abril para uma viagem de 4 meses e meio na qual irá cruzar o oceano Atlântico. O navio irá praticar 12 portos até ao regresso a Lisboa, previsto para 14 de setembro. Além do Funchal e de Filadélfia, Nova Iorque, Newport, Boston, Halifax, Miami, Willemstad (Curaçao), Cartagena das Índias (Colômbia), Praia da Vitória, Ponta Delgada e Faro são os portos onde a Sagres tem previsto atracar este ano.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.