“Moedas Digitais” vai ser tema de debate na Universidade Portucalense

Data:

A falta de confiança, além da necessidade da regulamentação, alimenta ainda algum medo instalado nos portugueses para o uso de moedas digitais, apesar de alguns particulares e empresas já apostarem na moeda virtual, acreditando serem mais seguras.

João Duque, professor no ISEG, alerta para o facto das criptomoedas só poderem ser usadas em Portugal após aceitação pelos reguladores como Banco de Portugal e CMVM.
“Os reguladores têm desempenhado um papel, principalmente, de alerta para os perigos e têm dado poucos dados sobre a moeda, chegando ao ponto de desaconselhar totalmente o seu uso”, adianta aquele responsável.

A Universidade Portucalense quer ver esclarecidas algumas das dúvidas sobre o uso deste tipo de moeda e abre portas ao debate “Globalização e Criptomoeda”, no dia 17 de maio, com temas escolhidos que variam entre o impacto destas novas “divisas” digitais na economia e nos negócios, assim como questões sobre segurança nas transações, tecnologia e a regulação do setor.
A organização está ao encargo de Mafalda Mendes-Ribeiro que contou, também, com a colaboração dos alunos do Núcleo de Estudantes de Economia e Gestão.

Do painel de oradores, além de João Duque e de Mafalda Mendes-Ribeiro, farão também parte Alberto Rocha Guisande, Economista, Celso Martinho, CEO Bright Pixel,
Rui Matos, Administrador da Euronext /Interbolsa, Francisco Araújo, da ICG Software e Carlos Magno, jornalista e ex-presidente da ERC.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.