Participe no EIT e conheça a Herdade Vale da Rosa

Data:

Na Herdade Vale da Rosa produzem-se as melhores uvas de mesa do mundo

Participar no EIT de 2018 é ter uma oportunidade de visitar e conhecer a Herdade Vale da Rosa, em Ferreira do Alentejo, m investimento de António Silvestre Ferreira.
As origens da Herdade Vale da Rosa remontam à década de 50 do século passado, altura em que o seu pai se estabeleceu no concelho de Ferreira do Alentejo, na Herdade do Pinheiro, na sequência dos negócios que mantinha entre a zona oeste e o Alentejo.
Os negócios dessa época consistiam essencialmente na venda de vinhos e cereais. Na altura geria um armazém de bebidas e, em meados da década de 1960, tornou-se arrendatário de terras nas quais começou a produzir uva de mesa, numa extensão que veio a atingir os 400 hectares.
Chegou a empregar cerca de 400 trabalhadores nas épocas de colheitas. A produção da uva de mesa começou com a variedade Dona Maria e em 1972 ocorreram as primeiras exportações para o mercado inglês. Em 1976 deram-se as ocupações das terras na sequência do processo da reforma agrária, e a família Silvestre Ferreira partiu para o Brasil, tendo-se radicado no município do Maringá, estado do Paraná, sul do Brasil.
Ali rapidamente retomaram a atividade empresarial agrícola e começaram o cultivo de uva Dona Maria numa extensão de 50 hectares. Também iniciaram o cultivo de frutas e a exploração pecuária.

Uvas sem grainha

No início da década de 1980 deram início à produção da uva de mesa sem grainha. Aquando da restituição das terras em Ferreira do Alentejo, no início da década de 1980 os irmãos mais velhos de Silvestre Ferreira ficaram a dirigir a exploração. O pai regressou em 1984 mas continuou a residir no Brasil, como professor de medicina veterinária na Universidade Estadual do Maringá.
Foi por iniciativa do pai, que visitou explorações muito avançadas de uva de mesa em Bari, Itália, que a área de exploração de vinha baixa foi convertida em vinha alta, coberta com plástico – o sistema de pérgola italiana. No espaço de uma década investiu cerca de cinco milhões de euros numa extensão de 250 hectares de vinha de uva de mesa, 80 hectares de vinha para produção de vinho e 60 hectares de pera rocha.
Em finais de 1999 o estado de saúde do seu pai agravou-se tendo vindo a falecer em Fevereiro de 2000. Silvestre Ferreira regressou do Brasil e tomou a seu cargo a exploração e a colheita desse ano. Na sequência das partilhas das terras da família, Silvestre Ferreira continuou o seu projeto de exploração das uvas de mesa. Desde 2000 até ao presente o crescimento da empresa tem sido significativo.
De uma extensão de 100 hectares na altura chega aos dias de hoje com uma extensão produtiva de 170 hectares e um total projetado de 300 hectares.
Já sob a égide da marca Herdade Vale da Rosa consolidou as exportações para Inglaterra e entrou noutros mercados pela primeira vez (Alemanha, Angola, Bélgica, China, Espanha, França, Holanda, Luxemburgo, Polónia, República Checa, Suíça).
Silvestre Ferreira dá grande importância à presença além fronteiras, ou não fosse Silvestre Ferreira um cidadão do mundo.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.