Prestação da casa indexada à Euribor a 6 meses sobe em maio

Data:

Os clientes com crédito à habitação indexado à Euribor a seis meses vão pagar uma prestação mais alta em maio e os com crédito à habitação a três meses vão manter o valor da prestação.

Segundo os cálculos feitos para a agência Lusa pela Deco/Dinheiro&Direitos, um cliente com um empréstimo no valor de 150 mil euros a 30 anos, indexado à Euribor a seis meses com um ‘spread’ (margem de lucro do banco) de 1%, vai passar a pagar 464,08 euros a partir de maio, mais 0,27 euros do que o que pagava desde a última revisão, em novembro.

No caso de um empréstimo nas mesmas condições, mas indexado à Euribor a três meses, o cliente mantém o valor da prestação nos 460,19 euros a partir deste mês, um valor igual à última revisão, em fevereiro.

Desde o final de 2015 que as taxas Euribor negoceiam em valores negativos.

Em Portugal, 90% dos contratos de crédito à habitação usam taxa de juro variável, sendo a Euribor a seis meses o indexante mais usado, seguido da taxa a três meses.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de mais de 50 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário. Em Portugal, a Caixa Geral de Depósitos faz parte deste painel.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.