Em março a produção de energia renovável foi mais elevada do que o consumo

Data:

Segundo a Associação Portuguesa de Energias Renováveis (APREN) e a Associação Sistema Terrestre Sustentável, a produção de eletricidade renovável no mês de março de 2018 excedeu o consumo de Portugal Continental.
As duas entidades citam dados da REN (Redes Energéticas Nacionais) que indicam que a eletricidade de origem renovável produzida em março foi de 4812 GWh, ultrapassando o consumo de Portugal Continental – 4647 GWh. O anterior máximo de produção de energia renovável tinha-se verificado em fevereiro de 2014 com 99,2%.
“Este valor traduz-se numa representatividade das renováveis de 103,6% do consumo elétrico, algo inédito pelo menos nos últimos 40 anos”, refere a APREN num comunicado de imprensa.
Na mesma nota a associação refere, porém, que em alguns períodos, as centrais térmicas fósseis e/ou a importação “foram chamadas a completar o abastecimento das necessidades elétricas em Portugal”, facto que foi contrabalançado “por períodos de muito maior produção renovável”.
No período analisado, a representatividade diária das renováveis no consumo registou um mínimo de 86%, ocorrido no dia 7 de março, e um máximo de 143%, no dia 11 de março. Destacando-se um período de 70 horas, com início no dia 9, em que o consumo foi totalmente a ssegurado por fontes renováveis e outro período de 69 horas, no início no dia 12.
Dados que a associação considera “assinalarem um marco histórico do setor elétrico português”, e demonstrarem “a viabilidade técnica, a segurança e a fiabilidade do funcionamento do sistema elétrico nacional, com muita eletricidade renovável”.

Hídrica e eólica em destaque

As energias hídrica e eólica foram responsáveis pela maior parte da produção de energia renovável em março: 55% e 42% das necessidades de consumo, respetivamente. “A produção total mensal das renováveis permitiu ainda evitar a emissão de 1,8 milhões de toneladas de CO2, o que se refletiu na poupança de 21 milhões de euros na aquisição de licenças de emissão”, destaca a APREN.
No mesmo período Portugal obteve um elevado saldo exportador de energia renovável – 878 GWh – que repreentou 19% do consumo elétrico de Portugal Continental, informa ainda o comunicado.
A APREN defende que o registo do mês passado é um exemplo do que se passará a verificar, mais frequentemente, num futuro próximo. “De facto, espera-se que até 2040 a produção de eletricidade renovável será capaz de garantir, de forma custo eficaz, a totalidade do consumo anual de eletricidade de Portugal Continental. No entanto, será ainda necessário o recurso pontual a centrais a gás natural, para além do apoio crucial das interligações e do papel de crescente importância do armazenamento de eletricidade”, afirma.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.