No Luxemburgo há “um interesse crescente de estrangeiros” pela Língua Portuguesa

Data:

Joaquim Prazeres, Coordenador do EPE no Grão Ducado, diz que atual ano letivo há alunos luxemburgueses e de outras nacionalidades a frequentar os cursos do Camões, I.P., tanto na modalidade Complementar e no ensino Paralelo.

Os mais recentes dados do Minitére de l’Éducation Nationale, de l’Enfance et de la Jeunesse (MENJE) do Luxemburgo, o Português é a segunda língua mais presente nas escolas, “com 13.603 alunos do ensino fundamental e 10.094 do secundário a falá-la em casa”, revela Joaquim Prazeres. Uma realidade que leva o Coordenador do EPE naquele país a acreditar que a oferta de ensino “tem um grande potencial de crescimento” e a “intensificar esforços para chegar a mais pais e a mais crianças”.
No presente ano letivo, há 2.682 alunos a frequentar os cursos de Língua e Cultura portuguesas no Luxemburgo, do ensino pré-escolar ao superior. Destes, 2.181 são alunos do ensino fundamental e 501 do ensino secundário e superior. Joaquim Prazeres explica que este é um universo composto na sua maioria por alunos que falam o Português em casa, “com ligações afetivas e familiares muito fortes à língua e cultura portuguesas”, mas também a outras culturas lusófonas: cabo-verdianos, angolanos, brasileiros, guineenses…. Como muitos já nasceram no Luxemburgo têm a nacionalidade luxemburguesa, a par da portuguesa, mas são contabilizados como estrangeiros nas estatísticas oficiais do Grão-Ducado, “que apontam, nos últimos anos, para uma estabilização de alunos de nacionalidade portuguesa no ensino fundamental e um ligeiro aumento no secundário”, acrescenta.
No atual ano letivo, 62 escolas de 37 localidades têm a funcionar cursos de língua e cultura portuguesas, com uma maior concentração nos cantões de Esch-sur-Alzette, Diekirch e Luxemburgo, que concentram grande parte da comunidade portuguesa, revela ainda Joaquim Prazeres, recordando que o ensino integrado de português foi implementado em 1982. “Em relação ao ano passado verificamos uma diminuição significativa dos cursos integrados, e a transformação deste tipo de cursos em cursos do ensino Complementar veio acelerar uma tendência que temos vindo a constatar nos últimos anos. Posto isto, podemos afirmar que o ensino integrado tem vindo a perder alunos, todavia grande parte dos alunos têm-se mantido nos nossos cursos, paralelos e, este ano, complementares”, explica.

Ensino Complementar: a novidade de 2017/2018
Um caso exemplar é o de Esch-sur-Alzette, cujas autoridades autárquicas decidiram colocar um ponto final ao ensino integrado no ano passado. Mas, ao contrário do fim anunciado dos cursos de/em Língua e Cultura portuguesas, a Coordenação de Ensino constatou qwue se manteve o número de inscrições, mas nos cursos complementares.
O ensino Complementar é uma modalidade de ensino inserida no presente ano letivo – em substituição dos cursos integrados, resultante de um acordo entre Portugal e o Grão-Ducado. As mais-valias desta alteração faz-se sentir nas escolas, onde “há uma articulação entre os professores luxemburgueses e os professores portugueses”, para além do facto do programa curricular integrar o plano de estudos luxemburguês e o programa do ensino português no estrangeiro. “A avaliação de competências é integrada no boletim escolar do aluno e a certificação de competências em Português será assegurada pelo Camões, I. P., com os critérios de rigor e competência que lhe são reconhecidos”, acrescenta Joaquim Prazeres. O Coordenador ressalta ainda que esta oferta, dinamizada em sintonia com as autoridades luxemburguesas, “representa um reconhecimento da importância da Língua Portuguesa dentro da escola e a sua valorização no percurso escolar dos próprios alunos”.
Fora do universo lusófono, a Língua Portuguesa tem vindo a ganhar espaço, já que se constata “um interesse crescente de estrangeiros”, tanto nos cursos de responsabilidade direta do Camões, I.P., como naqueles oferecidos por outras instituições, em institutos de línguas, autarquias e em associações de portugueses.
No caso dos cursos do Camões, I.P., desde há alguns anos são ministrados cursos de Português Língua Estrangeira (PLE), para adultos, num liceu na cidade do Luxemburgo. E no atual ano letivo há mesmo alunos luxemburgueses e de outras nacionalidades a frequentar os cursos do Camões, I.P., no complementar e no paralelo. “Dada esta crescente procura, estamos a equacionar abrir no próximo ano Cursos de PLE/iniciação para crianças”, complementa o Coordenador.

Ana Grácio Pinto

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.