Criada no Rio de Janeiro a Associação Luís de Camões

Data:

Com a participação ativa do Camões, I.P. na gestão do Real Gabinete Português de Leitura do Rio de Janeiro, que possui a maior e a mais valiosa biblioteca de obras de autores portugueses fora de Portugal.

Lançada este mês no Rio de Janeiro, Brasil, a Associação Luís de Camões nasce de um Memorando de Entendimento que envolve o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. (Camões, I.P.), de Portal, e o Real Gabinete Português de Leitura, o Liceu Literário Português e a Real e Benemérita Sociedade Portuguesa Caixa de Socorros D. Pedro V, instituições luso-brasileiras do Rio de Janeiro.
A associação vai permitir “a participação ativa do Camões na gestão do Real Gabinete de Leitura e estreita articulação com o Liceu Literário do Rio de Janeiro, associação de matriz portuguesa que também integrará a associação Luís de Camões, e visa a preservação do património que compõe o acervo cultural, social, educacional e histórico de Portugal, ligado às atividades do Real Gabinete Português de Leitura, do Liceu Literário Português e da Real e Benemérita Sociedade Portuguesa Caixa de Socorros D. Pedro V”, informa uma nota divulgada pelo Camões, I.P.
O documento foi assinado a 11 de junho na presença do Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa e do Primeiro-Ministro, António Costa e rubricado pela presidente do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. (Camões, I.P.), Ana Paula Laborinho, e pelo presidente do Real Gabinete Português de Leitura, do Liceu Literário Português e da Real e Benemérita Sociedade Portuguesa Caixa de Socorros D. Pedro V, Francisco Gomes da Costa.
“Pelo menos por 30 anos, fica garantida a perenidade das três instituições históricas do Rio de Janeiro: o Real Gabinete Português de Leitura, o Liceu Literário Português e a Real e Benemérita Caixa de Socorros D. Pedro V”, afirmou o Primeiro-Ministro durante a cerimónia de assinatura do memorando, defendendo ainda que estas três instituições “deverão ser a base para a promoção da língua portuguesa na América Latina”.

Biblioteca de Marcello Caetano no Real Gabinete
O Real Gabinete de Leitura do Rio de Janeiro será também o novo guardião da biblioteca do último chefe de Governo do Estado Novo.
A Associação Luís de Camões, no Rio de Janeiro, irá supervisionar os 17.963 títulos e 21.506 volumes do único património que Marcello Caetano levou para o exílio no Brasil e que doou à Universidade Gama Filho, onde deu aulas. Entre as publicações mais antigas está uma edição de 1731 das ‘Memórias de D. João I’.
O Real Gabinete Português de Leitura possui a maior e a mais valiosa biblioteca de obras de autores portugueses fora de Portugal: o acervo, inteiramente informatizado, reúne cerca de 350 mil volumes. Entre as obras mais raras da biblioteca estão uma primeira edição de ‘Os Lusíadas’, de 1572, que pertenceu à Companhia de Jesus; as ‘Ordenações de Dom Manuel’, por Jacob Cromberger, editadas em 1521; os ‘Capitolos de Cortes e Leys que sobre alguns delles fizeram’, editados em 1539; ‘A verdadeira informaçam das terras do Preste Joam, segundo vio e escreveo ho padre Francisco Alvarez’, de 1540. Possui ainda manuscritos autógrafos do ‘Amor de Perdição’, de Camilo Castelo Branco e o ‘Dicionário da Língua Tupy’, de Gonçalves Dias, além de centenas de cartas de escritores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.