Portugal já prepara o jogo com o Chile

Data:

O ‘duelo’ das meias-finais da Taça das Confederações joga-se já nesta quarta-feira, às 19 horas, horário de Lisboa

A seleção portuguesa de futebol, que no sábado assegurou a passagem às meias-finais da Taça das Confederações, passou o domingo em recuperação, em São Petersburgo, no dia em que ficamos a saber que o Chile será o próximo adversário.
Hoje, os jogadores regressaram aos treinos em São Petersburgo para preparar o encontro com o Chile, antes de viajar para Kazan, onde, na quarta-feira, vai disputar o jogo das meias-finais.
Depois de um dia de recuperação, a seleção nacional regressa ao trabalho e tinha uma sessão agendada para as 10h30 (8h30 horas de Lisboa), num pequeno campo de treinos em São Petersburgo, que foi precisamente construído para receber as seleções participantes na Taça das Confederações e também no Mundial2018.
Raphael Guerreiro, lesionado, vai continuar ausente do relvado, assim como Bernardo Silva, que foi substituído ao intervalo frente à Nova Zelândia, devido a problemas físicos.
Cédric Soares, que falhou o jogo de sábado devido a uma mialgia, já deverá estar às ordens do selecionador Fernando Santos.

Ronaldo pode isolar-se no 2º lugar dos marcadores
À tarde, às 16h15 (14h15), a comitiva lusa viaja para Kazan, onde na quarta-feira defronta o Chile, no primeiro jogo das meias-finais da Taça das Confederações. A partida vai decorrer na Arena Kazan, tem inicio agendado para as 21h (19h em Lisboa), e pode deixar Ronaldo mais perto do ‘domínio’ europeu e a dois golos do ‘rei’ Pelé.
Cristiano Ronaldo poderá isolar-se no segundo lugar dos melhores marcadores de sempre de seleções europeias e, caso faça dois golos frente ao Chile, na Taça das Confederações de futebol, iguala o ‘rei’ Pelé na lista mundial.
Em Kazan, nas meias-finais do torneio dos campeões, um golo bastará a Ronaldo para ultrapassar definitivamente Sándor Kocsis, que fez 75 ao serviço da Hungria entre 1948 e 1956, e ocupar sozinho o segundo posto dos melhores marcadores de sempre de seleções europeias. A lista é liderada pelo lendário Ferenc Puskas, que fez 84 golos também pela Hungria, entre 1948 e 1956. Mais tarde, em 1961 e 1962, o antigo avançado representou igualmente a Espanha, mas acabou por nunca marcar.
A nível mundial, Ronaldo segue no sétimo posto, em igualdade com Kocsis e Bashar Abdullah, antigo jogador do Kuwait, mas caso faça dois golos na Arena Kazan, o avançado salta para o sexto posto e iguala Pelé, que fez 77 pelo Brasil entre 1957 e 1971. Ronaldo, que conta 142 jogos por Portugal, fez o seu primeiro golo pela seleção nacional a 12 de junho de 2004, com apenas 19 anos, na derrota frente à Grécia, por 2-1, no primeiro jogo do Europeu desse ano, que decorreu em solo luso.
Dez anos depois, a 26 de junho, o avançado do Real Madrid chegou à marca dos 50 no triunfo por 2-1 sobre o Gana, no Mundial2014, no Brasil, e em março de 2017, perante a Hungria (3-0), no apuramento para próximo Campeonato do Mundo, fez dois no Estádio do Luz e alcançou os 70.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.