Faleceu Valentim Morais, fundador do jornal Mundo Português

Data:

Faleceu Valentim Morais, fundador do jornal Mundo Português

Comendador Valentim Morais

4/09/1930 – 20/05/2017

Valentim Gonçalves Morais nasceu a 4 de Setembro de 1930 em Avô – Oliveira do Hospital.

Muito jovem veio para Lisboa onde nos anos 60 adquiriu uma pequena gráfica, a Mirandela para, em poucos anos, a vir a transformar na empresa gráfica com a maior rotativa de jornais do mundo.
A Gráfica Mirandela chegou a ter mais de 500 empregados nos anos 80, e a imprimir semanalmente mais de 200 publicações, incluindo as maiores do pais, sendo pioneira no emprego das técnicas de offset, fotogravura e desenvolvimento digital.

Com um historial que recua a 1958, então com 28 anos, a gráfica começou por funcionar na Calçada do Ferragial, ao Cais do Sodré, e foi depois transferida para a Condessa do Rio na Calçada do Combro. A partir de 1987 transfere-se para Alcântara, no espaço hoje designado por “Lx Factory”. Mais tarde em Loures, Santo Antão do Tojal, inaugurou novas e modernas instalações, que ficariam como modelo para a indústria.

A Gráfica Mirandela desempenhou um papel fundamental na democratização da sociedade portuguesa, no sentido que terá sido das suas oficinas que antes e depois do 25 de Abril saíram diversos jornais, livros e publicações escritos por personalidades de todos os quadrantes políticos, da esquerda à direita como nenhuma outra gráfica o fazia. Na Mirandela nasceram inúmeros jornais, livros e publicações de que se destacam o “Expresso”, “O Emigrante/Mundo Português”, “O Dia”, o “Jornal Novo”, o “Luta Popular”, entre muitos outros e foi responsável pela impressão diária, em simultâneo, de inúmeros jornais como o “24 horas”, o “Metro”, a “Bola”, o “Económico”, o “Público”, o “Semanário”, “O Independente”, o “Diabo”, o “Crime” e várias revistas de grande tiragem. Foi na Mirandela que o “ jornal i” começou a ser impresso, bem como as revistas da Deco, folhetos de todas as grandes superfícies e livros da editora Leya, entre outras grandes editoras.

Foi também uma referência para a imprensa regional, tendo ao longo dos anos aqui imprimido muitos títulos e tomado contato com novas técnicas de impressão numa gráfica que introduzia em Portugal as grandes novidades da indústria a nível mundial. Para muitos a Mirandela foi uma referência inesquecível, e também pela humanidade e solidariedade de Valentim Morais que marcou toda uma geração de gráficos, editores e jornalistas com a sua personalidade ímpar, franca e aberta que encantava todos os que o conheciam de perto. Já antes do 25 de abril, a Mirandela era líder em todo o país na fotogravura e mais tarde na introdução do “of-set”, sendo uma gráfica sempre “antes do tempo” e pioneira na introdução das novas técnicas industriais, sendo respeitada pelos seus concorrentes por este permanente vanguardismo introduzido por Valentim Morais.
Como homem sensível que era e sobretudo solidário, os problemas dos outros não o deixavam indiferente. Assim aconteceu com com a emigração que na época afligia os que partiam e os que ficavam. Era difícil viver em Portugal e por isso como empresário que era res lveu dar o seu contributo.

Em 12 de janeiro de 1970, fundou com o Padre Vítor Melícias, o jornal ‘O Emigrante/Mundo Português’ sob o lema “Agir Servindo”, porque mais do que um jornal era um serviço prestado aos portugueses que saíam de Portugal para viver nas mais duras condições de vida e num abandono cultural e informativo quase absoluto.

O ‘Emigrante/Mundo Português’ ainda hoje é o semanário português de maior circulação no mundo.
O comendador Valentim Morais faleceu em Lisboa, a 20 de Maio de 2017, tendo sido sepultado na sua terra Natal em Avô- Oliveira do Hospital. Seu filho Carlos Morais (atual Administrador do Jornal deu continuidade a este projeto desde 1980), fazendo deste projeto uma firme realidade empresarial em Portugal e no mundo.
Em vida viveu sempre sob o fascínio da América, país que admirava pela sua visão de vida, e onde reforçou as suas concepções empresariais. Viria assim a visitar este país por diversas vezes a partir dos anos 80, tendo inclusivamente estabelecido novos laços familiares com Maria Fernanda Alves-Morais, que viria a ser a sua companheira até final dos seus dias.

O comendador Valentim Morais faleceu em Lisboa, a 20 de Maio de 2017.

O seu corpo estará presente na Igreja de S João de Deus, em Lisboa, dia 21, a partir das 19h. A missa de corpo presente terá lugar na segunda-feira, dia 22 às 9.30h. O cortejo fúnebre sairá pelas 11 horas para a terra que viu nascer Valentim Morais, a aldeia de Avô, em Oliveira do Hospital.

A missa do sétimo dia terá lugar sexta-feira, dia 26, às 20 horas na igreja de S. João de Deus. A missa será presidida pelo Padre Vítor Melícias,’ irmão’, companheiro e amigo do Comendador Valentim Morais há mais de 50 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.