Pulseira criada pela PSP ajuda pais a encontrar crianças que estejam perdidas

Data:

Foi criado pela PSP (Polícia de Segurança Pública) e ajuda os pais e educadores a localizar crianças entre os dois e os nove anos que estejam perdidas. O programa ‘Estou Aqui’ consiste na distribuição de pulseiras gratuitas que podem também ser usadas por crianças estrangeiras que visitam Portugal e por filhos de portugueses que façam férias em países da União Europeia.

Só em junho foram registadas e levantadas 43 mil pulseiras ‘Estou Aqui’ (EA), mas continuaram a ser inúmeras as famílias a solicitar a adesão ao programa – que este ano decorre entre 1 de junho e 30 de setembro – o que levou a direção-nacional da PSP decidiu fazer uma segunda dotação. Assim, serão distribuídas mais cinco mil pulseiras em Lisboa, três mil em Setúbal e mais alguns milhares nos distritos do Norte, confirmou à rádio ‘Renascença’ o porta-voz da PSP, subintendente Paulo Flor.
Apesar de a distribuição terminar no último dia de setembro, a pulseira pode ser usada até 31 de dezembro, já que a PSP garante a base de dados ativa até ao último dia do ano. Destinada a crianças entre os dois e os nove anos, a pulseira pode entretanto ser disponibilizada aos pais com filhos mais pequenos, desde que comprovadamente sejam capazes de andar sozinhos.
A pulseira, que é gratuita, pode também ser usada por crianças estrangeiras que visitam Portugal e por filhos de portugueses que façam férias em países da União Europeia. “Poderão, caso pretendam, levar os vossos filhos para os países da União Europeia com a pulseira EA pois o número de emergência “112” é europeu e a PSP estreitou a ligação com as congéneres europeias para que possa ser por nós validada em caso de necessidade”, explica a PSP na página do ‘Programa Estou Aqui’ criada na internet (https://estouaqui.mai.gov.pt/)
Os pais têm de pedir a pulseira através do site da PSP e escolher uma esquadra desta força policial para a levantarem. As pulseiras ficam disponíveis para entrega depois do sétimo até ao 25º dia, sendo o pedido cancelado caso não sejam levantadas nesse período. Em caso de desaparecimento da criança e, através de uma chamada para o 112 feita por quem a encontrar, serão acionados os mecanismos necessários de comunicação com as forças de segurança, que enviam para o local do desaparecimento, uma patrulha policial. Paralelamente, a PSP agilizará  contato com o responsável pela criança perdida, de acordo com os registos fornecidos no ato de adesão e ativação da pulseira.
Com acabamento em cobre e banho de níquel a pulseira trás gravada em baixo relevo, a frase “Call/ Liga 112” e um número em código alfanumérico diferente para cada uma delas – que, apesar de ser percetível, só pode ser lido pela PSP, através da base de dados.
“Solicitamos que coloque primeiro a chapa na pulseira (preferencialmente com a gravação virada para a pele) e depois no braço da criança com um duplo nó bem apertado para que não se desenlace”, informa a PSP, revelando ainda aos pais que já tenham utilizado este programa, que as pulseiras ativadas de 2012 a 2014 já não estão válidas, sendo necessário ativar um novo registo este ano.

Ana Grácio Pinto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.