Polícia Inglesa em Faro para novas inquirições sobre o caso Maddie

Data:

A equipa da polícia inglesa responsável pela investigação ao desaparecimento de Madeleine McCann está reunida nas instalações da Polícia Judiciária (PJ), em Faro, para novas inquirições a testemunhas e contactos com as autoridades portuguesas.
A equipa chegou às instalações da diretoria de Faro da PJ pelas 09:20, entre eles, o inspetor-chefe Andy Redwood que tem estado responsável pela investigação britânica nos últimos três anos e meio e que agora, por entrar na reforma, passa o caso para a inspetora chefe Nicola Wall da Metropolitan Police Service.
As inquirições sobre o desaparecimento de Madeleine McCann que desapareceu do quarto onde dormia com os seus dois irmãos mais novos a 03 de maio de 2007, num apartamento de um aldeamento turístico, na Praia da Luz, no Algarve, deverão decorrer durante três dias.
Na edição de hoje, o Correio da Manhã refere que vão ser inquiridas onze testemunhas, ação que resulta das diligências pedidas pela polícia britânica.
Segundo informações facultadas pela Scotland Yard à Lusa, a transferência do processo para o novo chefe da investigação está em curso e os pais da criança e outros interessados foram informados da mudança.
Nicolas Wall transita da divisão de Homicídios e Crimes Graves para a operação Grange e assume funções oficialmente a 22 de dezembro.
A equipa de investigadores esteve em Portugal em outubro, cerca de três meses depois das últimas inquirições no âmbito deste caso, tendo mantido reuniões na Polícia Judiciária de Faro e no Instituto Nacional de Medicina Legal (INML).
Na altura, o presidente do INML, adiantou que os inspetores da Scotland Yard demonstraram vontade em realizar novas análises às provas recolhidas durante a investigação, estando em aberto a possibilidade de serem realizadas em Inglaterra ou no Instituto Nacional de Medicina Legal.
A polícia britânica terá estado ainda a preparar novas inquirições a suspeitos no âmbito deste processo, depois de, em julho, terem interrogado quatro arguidos e uma dezena de testemunhas.
No início de junho, agentes britânicos de investigação forense, PJ e GNR realizaram várias buscas com cães, no miradouro da Praia da Luz e em terrenos à entrada da localidade turística da Aldeia da Luz.
Ao todo, foi investigada uma área de cerca de 60 mil metros quadrados, incluindo condutas de eletricidade e gás, esgotos e edifícios em ruínas, com o auxílio de cães pisteiros e “georadares”, buscas que se revelaram infrutíferas.
Em agosto, a Scotland Yard entregou a quinta carta rogatória às autoridades portuguesas, no sentido de realizar novas diligências.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.