Brasil: Banda Euterpe Friburguense foi fundada em 1863 por um português

Data:

Fundada em 26 de fevereiro de 1863 pelo maestro português Samuel Antônio dos Santos é motivo de orgulho para uma cidade fundada por um decreto do rei Dom João VI, em 1818.

A cidade de Nova Friburgo, a 137 km do Rio de Janeiro, está em festa. Uma de suas bandas sinfônicas, a Sociedade Musical Beneficente Euterpe Friburguense comemora 150 anos de atividades ininterruptas. Fundada em 26 de fevereiro de 1863 pelo maestro português Samuel Antônio dos Santos é motivo de orgulho para uma cidade fundada por um decreto do rei Dom João VI, em 1818, para uma experiência: a primeira colonização não-portuguesa do Brasil.  Os suíços chegaram no ano seguinte, mas os portugueses e sua cultura continuaram presentes no cotidiano local. Mesmo após a independência do Brasil, em 1822, levas de imigrantes portugueses continuaram a chegar à Nova Friburgo. Entre eles, o futuro fundador da Euterpe.
Após um século e meio de existência, a Euterpe tem muito que comemorar. Os festejos se iniciaram nos primeiros dias de fevereiro deste ano com a inauguração da fachada remodelada da sede e uma homenagem durante o carnaval: a história da Euterpe foi tema do desfile de uma Escola de Samba, a agremiação “Vilage no Samba”. Na data do aniversário aconteceu uma alvorada festiva, com desfile pela cidade, sessão solene, inauguração da placa alusiva à data, retrato oficial, iluminação especial da fachada e bolo comemorativo. No dia 10 de março, aconteceu o concerto do sesquicentenário, no Teatro Municipal de Nova Friburgo. Sob a regência do maestro Nelson José da Silva Neto, a banda sinfônica executou um repertório que encantou o público.
Entre outras peças: Il Guarany, de Carlos Gomes; Dobrado Sinfônico Prefeito Rogério Cabral, de Tiago Vidal Corrêa; Batuque, de Lorenzo Fernandes; Euterpe Tribute, de Bruno Rodrigues. As festividades prosseguiram no mesmo dia com um almoço festivo e a entrega de comendas a 150 personalidades – os “Embaixadores do Sesquicentenário”. Entre outras: Maria Estela Kubitscheck Lopes, filha do saudoso Presidente da República Juscelino Kubitscheck, que foi associado da banda; Embaixador PhD da República da Hungria Dr. Csaba Szijjártó; Prefeito de Nova Friburgo Rogério Cabral; maestro Bruno Rodrigues, regente da Orquestra Sinfônica da Cidade do Rio de Janeiro; Maestro Ricardo Tacuchian, da Academia Brasileira de Música.
Segundo o presidente da S. M. B. Euterpe Friburguense, Francisco de Assis da Silva, os festejos continuarão por todo o ano, com um baile de gala, diversas apresentações da banda por todo o Estado e muitas homenagens. E logo em seguida começarão os preparativos para um grande projeto: os festejos do bicentenário da cidade de Nova Friburgo, em 2018.


O Fundador

Samuel Antônio dos Santos nasceu na freguesia das Mercês, em Lisboa, Portugal, em 8 de Dezembro de 1831. Era filho de Antônio Francisco dos Santos e Mafalda Rosa. Tornou-se oficial da marinha lusitana e regente da banda de fuzileiros. Em 1858 zarpava de Lisboa em um navio da frota portuguesa com destino a Buenos Aires. Em meio à travessia do atlântico uma grande tormenta quase levou a frágil embarcação ao fundo do oceano. Apesar de sua coragem e da coragem de seus comandados, Samuel, homem religioso que era, entregou sua preces a Deus, prometendo caso saíssem vivos daquela tempestade, dar baixa da marinha e, ingressando na vida civil, dedicar-se à música, sua principal paixão e construir uma igreja a Santo Antônio, seu padroeiro.
Depois de alguns meses, ainda naquele ano, são e salvos, o navio jogou âncora no porto do Rio de Janeiro. Após pedir baixa da marinha portuguesa, Samuel trabalhou no Rio até meados de 1862. Nessa época mudou-se para Nova Friburgo a fim de lecionar música.
Assim que chegou, conheceu o comerciante Francisco José Bohrer e logo surge a idéia de uma banda. Bohrer gentilmente cede parte dos fundos de sua residência para a construção de uma pequena sala de apresentações. Então, com a ajuda de famílias friburguenses foi fundada, em 26 de Fevereiro de 1863, a Sociedade Musical Beneficente Euterpe Friburguense, a qual Samuel regeu por muitos anos. Era hora de partir para a última promessa.
Em 8 de Agosto de 1867, Samuel casou-se com Guilhermina Pascal. Prendada em artes cênicas, Guilhermina pôs-se ao trabalho com o objetivo de angariar fundos para a construção da igreja, transformando sua casa em um pequeno teatro, onde eram feitas as encenações. Em 26 de outubro de 1875 a câmara de Nova Friburgo procede a doação de um pequeno terreno à Euterpe Friburguense. Em 13 de Junho de 1879 o então vigário João Felipe Pinheiro dá sua benção durante o lançamento da pedra fundamental da capela de Santo Antônio. A construção da capela foi lenta, pois os recursos eram conseguidos com festivais e leilões que a Euterpe realizava. Exatos cinco anos depois, em 13 de Junho de 1884, sendo Vigário da Paróquia o Padre Amaro Theot Castor Brasil, é inaugurada a capela. A última promessa estava finalmente concretizada.
Samuel cuidou com muito zelo da Capela e organizou as festas do seu padroeiro. Estabeleceu a distribuição do Pão de Santo Antônio. Não deixou filhos, mas sempre teve para com os amigos e os necessitados um carinho especial. Foi membro da Irmandade do Santíssimo Sacramento. Samuel veio a falecer a 8 de Dezembro de 1905, aos 74 anos.


Mais antiga banda civil do Brasil

A Sociedade Musical Beneficente Euterpe Friburguense – a mais antiga expressão cultural de Nova Friburgo – foi fundada em 26 de Fevereiro de 1863 pelo maestro português Samuel Antônio dos Santos. Seu primeiro presidente foi o Conde de São Clemente, filho do 1º Barão de Nova Friburgo. O nome da banda vem da mitologia grega, onde Euterpe era uma deusa da música. A Banda Euterpe iniciou suas atividades num salão alugado na Rua General Osório. Mais tarde, construiu uma sede própria, inaugurada em 1916, na atual Avenida Euterpe Friburguense, nº 53. Sempre presente nos grandes momentos da história de Nova Friburgo, suas apresentações em diversas cidades são sempre marcantes e inesquecíveis. Entre as mais recentes, foram memoráveis: Sala Cecília Meirelles, na entrega dos títulos de Patrimônio Cultural do Estado do Rio de Janeiro às bandas centenárias; Teatro João Caetano, na entrega dos prêmios de Destaque da Cultura do Estado do Rio de Janeiro; Centro de Tradições Nordestinas – Pavilhão de São Cristóvão, na cidade do Rio de Janeiro, no centenário de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião.
Conhecida como a “Centenária das Centenárias”, recebeu o título de Patrimônio Cultural do Estado do Rio de Janeiro. Foi também agraciada com a Medalha Tiradentes pela Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Em 2009, por indicação do então diretor do Sanatório Naval de Nova Friburgo à época Capitão-de-Fragata (Md) Nestor Francisco Miranda Junior foi agraciada com a medalha Amigo da Marinha. Hoje, com 61 músicos na banda sinfônica, 22 músicos na banda-escola e 104 alunos na escola de música que leva o nome do fundador, a Euterpe Friburguense é a mais antiga banda civil do Brasil com 150 anos de atividades ininterruptas.

Nelson Alvarez
Jornalista e diretor da Banda Euterpe Friburguense. É presidente da Sociedade Amigos da Marinha – Nova Friburgo.
Foi presidente do Grêmio Português de Nova Friburgo
.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.