Portugal é o 30º melhor país onde nascer em 2013

Data:

Qual o país ideal para um bebé nascido em 2013? De acordo com um ranking elaborado por uma empresa ligada à renomada revista britânica «The Economist», nos dias de hoje é a Suíça o país ideal para uma criança nascer. Já Portugal é o 30º país com melhores oportunidades para se viver…

Em 1988, quando a «Economist Intelligence Unit» (empresa associada à «The Economist») realizou o primeiro estudo, a Suíça estava na 13ª posição. Vinte e cinco anos depois, Portugal subiu duas posições num ranking que era entãodominado pelos Estados Unidos. Em 2013, os EUA estão na 16ª posição.
O estudo intitulado «Where To Be Born Índex» (Índice Onde Nascer) analisa inúmeros países para descobrir qual irá fornecer as melhores oportunidades de uma vida saudável, segura e próspera nos anos seguintes. Para tal, a empresa utiliza 11 indicadores.
É um misto de factores, desde os fixos (como a geografia do país), aos dados que variaram pouco ao longo do tempo (como a demografia e características sociais e culturais) e ainda outros índices que dependem de políticas e do estado da economia mundial.
Entre os índices utilizados estão o PIB per capita actual, o custo de vida, o índice de inflação comparativamente a 1988, e ainda a expectativa de vida, a percentagem da população com nível superior de ensino e o respeito pelos direitos humanos no país.
O resultado final, vincula os índices de satisfação subjectivos – o quanto as pessoas dizem ser felizes naquele país – a indicadores objectivos da qualidade de vida entre os países.
Assim, ser rico ajuda mais do que qualquer outro fator, mas não é tudo o que importa. “Coisas como crimes, a confiança nas instituições públicas e na saúde da vida familiar também importam”, explica a publicação britânica na apresentação do ranking.
Foram também tidas em conta previsões económicas para 2030, altura em que as crianças nascidas em 2013 atingirão a idade adulta.

Portugal sobe

Com base neste misto de indicadores, a «Economist Intelligence Unit», considerou que Portugal é o 30º país a oferecer melhores oportunidades de vida, para um bebé nascido em 2013.
O país subiu assim dois lugares na tabela, que há 25 anos era liderada pelos Estados Unidos, seguindo-se a França, a Alemanha Ocidental, a Itália, o Canadá e o Japão. Hong Kong, o Reino Unido a Suécia e a Holanda completavam, por esta ordem, os dez primeiros lugares.
Os resultados do ranking de 2013, que engloba 80 países (eram 48 em 1988), alteraram-se entretanto: apenas a Suécia e a Holanda melhoraram as suas posições face a 1988, todos os outros países caíram muitos lugares.
Assim, pelo actual ranking, ao primeiro lugar ocupado pela Suíça, segue-se a Austrália (18º lugar em 1988), a Noruega (anteriormente em 13º), a Suécia, a Dinamarca (24º), Singapura (36º), Nova Zelândia (também 18º em 1988), a Holanda, o Canadá e Hong Kong.
A Espanha ainda dois lugares acima de Portugal, mas em 1988 ocupava a 13ª posição. A Alemanha está agora em 16º, ex-aequo com os Estados Unidos.
Dos demais países lusófonos, o Brasil, está na 37ª posição do ranking de 2013 (em 1988 situava-se na 30ª) e Angola ocupa a 76ª posição, à frente apenas do Bangladesh, da Ucrânia, do Quénia e da Nigéria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.