GP Macau – Fórmula 3: António Félix da Costa triunfa nos carros

Data:

António Félix da Costa (Dallara Volkswagen) venceu a Taça Intercontinental da FIA em fórmula 3, numa prova que acabou com bandeiras amarelas devido a um acidente na reta da meta quando os pilotos iniciavam a 14.ª volta. Félix da Costa é o segundo português a vencer uma prova de Fórmula 3 em Macau – depois de André Couto ter feito o mesmo no ano 2000 -, mas o primeiro a consegui-lo a correr por Portugal, já que Couto corre com as cores de Macau.
O português, que chegou a Macau salientando sempre que pretendia ganhar a corrida de Macau, largou da ‘pole position’ depois de ter conquistado a vitória na corrida qualificativa que serviu para ordenar a grelha para a Taça Intercontinental da FIA.  Largando do primeiro lugar da grelha, Félix da Costa não conseguiu um bom arranque, chegou a estar em terceiro, mas na travagem à chegada ao hotel Lisboa, no final da zona rápida da pista, recuperou o primeiro lugar que não largou mais.
O piloto ainda sofreu durante algumas voltas a pressão do sueco Félix Rosenqvist (Dallara Mercedes), segundo na grelha, mas resistiu sempre nas investidas do adversário principalmente na travagem da curva do hotel Lisboa, um dos pontos de ultrapassagem preferidos dos pilotos. O terceiro lugar do pódio foi ocupado pelo britânico Alex Lynn (Dallara Mercedes) que, numa ou outra volta, ainda tentou chegar ao segundo lugar.
Na prova de Félix da Costa, grande parte do público que encheu a bancada do reservatório ostentava bandeiras portuguesas e logo após a bandeira de xadrez fizeram a festa pela vitória do piloto nacional, que levou ao mastro principal do pódio, pela primeira vez nesta categoria, a bandeira de Portugal.
Refira-se que o português Tiago Monteiro (Honda Civic) subiu também ao pódio ao terminar a primeira das duas corridas da última prova do Mundial de Turismo (WTCC), em Macau, na terceira posição, enquanto na segunda foi quarto classificado
O cônsul de Portugal em Macau congratulou-se com a vitória de António Félix da Costa na Taça Intercontinental da FIA em Fórmula 3, mas não deixou de recordar a memória de Luís Carreira, o piloto nacional de motos que perdeu a vida.
“(Sinto uma) grande, grande alegria, num fim de semana extraordinário, neste momento a vitória, (há pouco) o terceiro lugar do Tiago” Monteiro, disse Manuel Carvalho quando se dirigia para junto do pódio para celebrar com o piloto luso, o primeiro português a ganhar em Macau com as cores de Portugal já que André Couto, que venceu em 2000 a mesma prova, correu com as cores de Macau. O cônsul português não deixou, contudo, de recordar o trágico acidente de Luís Carreira, algo que sente muito, mas vincou o saldo final como “extraordinário” e disse sentir “uma grande emoção”.
O final da corrida não deixou também de ter um final curioso, dado que, com os pilotos no pódio, o hino português foi trocado, o que surpreendeu de imediato o próprio Félix da Costa e a assistência que, em resposta, cantou “A Portuguesa”. Depois a organização emendou o erro fazendo tocar o hino português, que seria outra vez acompanhado pelo coro de português que assistência à entregas das taças.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.