Odemira: Casa de férias de Amália abre ao público como alojamento

Data:

A casa de férias de Amália Rodrigues, no Brejão, Odemira, vai abrir como alojamento turístico, sendo o arranque do projeto segundo  disse à agência Lusa o presidente da fundação que detém o património da fadista.
Segundo João Aguiar, o projeto foi orientado para “toda a gente que goste, respeite e considere Amália Rodrigues”, procurando, ao mesmo tempo, a “autosustentabilidade financeira” da propriedade.
A casa estará disponível para arrendamento “como um todo”, com capacidade para seis pessoas, não sendo possível reservar apenas uma das três suítes, explicou o presidente da Fundação Amália Rodrigues.
Em época baixa, arrendar a casa por uma noite custa 375 euros, elevando-se o preço para 450 euros em época alta, esclareceu o dirigente.  João Aguiar afirmou que o valor foi fixado “atendendo à situação” do país e que não teve em consideração o fato de a casa ser da fadista, fator que faria o preço “ser muito mais alto”.
“Vai ser impossível entrar naquela casa e esquecer a quem pertenceu”, disse, garantindo que “a decoração e toda a envolvência emanam a 100 por cento da sua proprietária”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.