Exportações portuguesas crescem 410 milhões

Data:

Tomando como referência o mês de janeiro, o início de 2012 trouxe um aumento total das exportações de 410 milhões de euros, se comparado com janeiro de 2011 com destaque para o crescimento nas importações de países como os Estados Unidos da América, China e Angola. O Agro-alimentar voltou a mostrar a sua vitalidade contribuindo com 10,9% para essa evolução.

A economia portuguesa começou o ano da melhor forma, sobretudo se tivermos em conta o desempenho das exportações em janeiro de 2012, se comparadas com o mesmo período de 2011.
Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), analisados pelo Centro de Estudos e Estatística do SISAB Portugal, o nosso país exportou mais 410 milhões de euros em janeiro de 2012 do que em período homólogo de 2011, tendo o valor total das exportações chegado aos 3.531 mil milhões de euros.
Esta subida de 13,1 por cento face a janeiro do ano passado reflecte-se tanto nas exportações para a União Europeia como na saída de produtos para países terceiros, sendo que as exportações para fora da Europa prosseguem a tendência de crescimento que já tinham registado em 2011.
Enquanto as exportações para os países do espaço comunitário subiram 6 por cento (mais 144 milhões de euros do que em janeiro de 2011), a expedição de produtos para fora da Europa teve um desempenho ainda mais interessante com um crescimento de 38 por cento, ou seja, mais 266 milhões de euros do que em janeiro de 2011.

EUA e China em crescimento

No que concerne aos países que mais cresceram nas importações de produtos nacionais, destaca-se os Estados Unidos da América que comprou mais 92 milhões de euros do que em período homólogo de 2011 chegando aos 190 milhões de euros importados de produtos portugueses.
A França foi o segundo país que mais cresceu melhorando a sua performance importadora, no que diz respeito aos produtos portugueses, o que se traduziu numa subida de 53 milhões de euros face a período homólogo, chegando aos 463 milhões de euros.
A China surge no terceiro lugar no ranking de países que mais cresceram nas importações de produtos neste período, subindo 46 milhões de euros em relação a janeiro de 2011, importando agora 68 milhões de euros. A Alemanha também verificou um crescimento significativo neste período, evoluindo 45 milhões de euros em relação a período homólogo, importando agora 480 milhões de euros.
Ainda na lista dos países que mais cresceram como países de destino dos produtos portugueses em janeiro de 2012 (relativamente a janeiro de 2011), Angola exportou mais 32 milhões de euros do que em janeiro de 2011 fechando o primeiro mês de 2012 com 175 milhões de euros de produtos portugueses importados.
A Bélgica subiu as suas importações de bens portugueses em 22 milhões de euros (para 117 milhões de euros), a Venezuela subiu na mesma proporção (atingindo quase 30 milhões de euros de importações portuguesas), Marrocos cresceu 21 milhões de euros (para um total de 49 milhões de euros) e Moçambique atingiu uma subida de 17 milhões de euros, importando em janeiro de 2012 perto de 30 milhões de euros.
O Brasil importou mais 13 milhões de euros neste período, num total de 51 milhões de euros e o Reino Unido atingiu um crescimento de 12 milhões de euros, num total de bens portugueses importados de 185 milhões de euros.

Gibraltar e Hong Kong: as surpresas

Ainda no que diz respeito às exportações de produtos portugueses em janeiro de 2012 (em comparação com período homólogo de 2011) é interessante notar a evolução de um conjunto de países que, não sendo importadores de destaque de produtos nacionais, verificaram evoluções significativas nestes dois períodos.
Gibraltar cresceu praticamente 10 milhões nas importações de produtos portugueses, chegando aos 16 milhões de euros de produtos portugueses importados, um crescimento percentual de 142 por cento. A segunda grande surpresa nesta tabela vai para o crescimento de Hong Kong na aquisição de bens produzidos em Portugal, que evoluiu 4 milhões de euros para um total de 11,5 milhões de euros, uma subida significativa de 53 por cento.
Outros países atingiram valores que indicam um interesse crescente nos produtos feitos em Portugal. A Costa do Marfim, que em janeiro de 2011 tivera pouca expressão na importação de bens portugueses, teve em 2012 um aumento de 3,6 milhões de euros, atingindo um total de 4 milhões de euros, um crescimento recorde de 913 por cento. Realce ainda para a República Checa cresceu 3 milhões de euros para um total de 24 milhões de euros, a Mauritânia subiu 2,6 milhões de euros, a Colômbia teve uma evolução de 1,7 milhões de euros e o Benim teve uma subida de 1,1 milhões de euros.

Minerais e metais

Analisando outros sectores referidos nos dados relativos ao comércio internacional, podemos verificar que o maior crescimento em janeiro de 2012, em comparação com o mesmo período de 2011, coube à exportação de Produtos minerais com um crescimento de 121 milhões de euros para um total de 300 milhões de euros exportados, uma subida de 67,6 por cento.
Outra subida de realce foi a que diz respeito ao sector Pérolas, bijuterias que em janeiro de 2011 tinha exportado 23 milhões de euros e um ano depois, mostrou uma dinâmica muito interessante exportando 59 milhões de euros, mais 36 milhões de euros. O setor Metais comuns também teve um crescimento interessante, na ordem dos 42 milhões de euros: em janeiro de 2011 exportava 257 milhões de euros e em janeiro de 2012 exportou perto dos 300 milhões de euros.
De realçar ainda o excelente comportamento das exportações no setor Máquinas e aparelhos e material eléctrico que registou um crescimento de 53 milhões de euros de janeiro de 2011 para janeiro de 2012, exportando agora 516 milhões de euros.
O setor Material de transporte denotou uma evolução ainda mais significativa nas exportações de janeiro de 2012 já que, em comparação com igual período de 2011, este segmento exportou mais 70 milhões de euros, exportando agora 515 milhões de euros.
O sector Plástico teve um crescimento de 33 milhões de euros em janeiro de 2012, passando de 211 milhões de euros exportados em janeiro de 2011 para 244 milhões exportados em janeiro de 2012. A rubrica Pasta de madeira, papel e cartão subiu 19,3 por cento de janeiro de 2011 para janeiro de 2012, fruto de um crescimento de 28 milhões de euros, estabelecendo-se em 173 milhões de euros exportados em janeiro de 2012.
O setor Matérias têxteis cresceu 14 milhões de euros em janeiro de 2012, comparado com igual período de 2011, chegando aos 344 milhões de euros exportados. Igual crescimento (mais 14 milhões de euros) no mesmo período registou o setor Calçado e chapéus que exportou em janeiro de 2012 cerca de 148 milhões de euros.

Agro-alimentar exportou 387,4 milhões de euros em janeiro de 2012
Tradicionalmente, o setor agro-alimentar português é um motor importante nas exportações nacionais e isso voltou a acontecer no primeiro mês de 2012. Com uma subida de 410 milhões de euros, as exportações totais de janeiro de 2012 contaram com um peso importante do setor agro-alimentar que contribuiu com um reforço de 43,5 milhões de euros, comparando com janeiro de 2011.
Assim, o setor agro-alimentar (neste estudo representado pelos sectores Indústrias alimentares e bebidas, Animais vivos e produtos do reino animal, Produtos do reino vegetal e Gorduras e óleos animais ou vegetais) exportou 343 milhões de euros em janeiro de 2011 mas viu reforçada essa posição um ano depois já que em janeiro de 2012 exportou 387,4 milhões de euros, uma evolução de 12,7 por cento (face a 2011) e, mais uma vez, um peso nas exportações totais muito importante: 10,9%.
Nas categorias atribuídas ao setor agro-alimentar, as Indústrias alimentares e bebidas exportaram 192 milhões de euros em janeiro de 2012, ou seja, mais 12 milhões de euros (mais 6,6 por cento) do que em janeiro de 2011. A categoria Animais vivos e produtos do reino animal contou com a maior subida em termos de valores já que cresceu 20 milhões de euros em janeiro 2012 face a igual período de 2011 (para um total de 101 milhões de euros), uma subida de 24,7%.
Os Produtos do reino vegetal foram os únicos que registaram descidas no valor de exportações, com uma quebra de 3 milhões de euros, ou seja, menos 5,3% (para um valor de 53 milhões de euros). O maior crescimento percentual nas categorias definidas como pertencentes ao setor agro-alimentar vai para Gorduras e óleos animais ou vegetais que em janeiro de 2011 exportaram 26 milhões de euros e este ano cresceram para 40 milhões de euros: uma subida de 14 milhões de euros que se traduziu num crescimento percentual de mais 59%.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.