Ramirez apadrinha lontras asiáticas do Zoo de Santo Inácio

Data:

A Ramirez & Cª (Filhos), SA, parceira do Zoo Santo Inácio,  decidiu apadrinhar as lontras asiáticas, mamíferos carnívoros que têm vindo a ser protegidos em todo o mundo. Este apadrinhamento, que se concretiza no apoio à alimentação, para além de auxiliar o trabalho do Zoo Santo Inácio, beneficia a preservação e a conservação da espécie e favorece o conhecimento da sociedade em relação ao modo de vida destes animais.
Manuel Ramirez, administrador, assegura que «é uma honra apoiar entidades, como Zoo Santo Inácio, que se dedicam à conservação da biodiversidade, no âmbito de um vasto plano de responsabilidade social e ambiental, que motiva, por exemplo, que só utilizemos, nas nossas conservas, sardinha proveniente de pesca certificada».
O facto de, durante alguns anos, este mamífero, que pode medir 1,2 metros, ter sido caçado sem regra, motivou o declínio das populações. Os problemas ambientais e a poluição dos rios levou inclusive à sua extinção em alguns países, existindo agora, principalmente na Europa, vontade de o reintroduzir. Em Portugal, apesar de aparecerem com frequência em alguns rios, as lontras não são fáceis de encontrar pelo comum dos observadores, em virtude da sua natureza desconfiada, fugidia e noctívaga.

O Zoo de Santo Inácio

O Zoo Santo Inácio tem a sua origem numa propriedade familiar em Avintes, Vila Nova de Gaia, que data de 1702. Aqui se situava a casa de férias dos Van-Zeller, uma família de raízes Holandesas que nessa época se estabeleceu no Porto para, entre outros interesses, se dedicar ao comércio de Vinho do Porto.
No final do século XX, a então Quinta de Santo Inácio encontrava-se nas mãos de uma empresa familiar cujos sócios decidiram levar a cabo um projecto particularmente interessante e arrojado – a criação de um Parque Zoológico! A 10 de Junho de 2000 o Zoo Santo Inácio abriu as portas ao público, com muitos atractivos para oferecer a todos os seus visitantes.
Do Zoo à Casa-Museu do séc. XIX, passando pelos maravilhosos Jardins e Bosque, muitas são as possibilidades para passar um dia inesquecível na companhia de imensos animais.

A Ramirez

A Ramirez & Cª (Filhos), SA é a mais antiga fábrica de conservas do mundo em laboração. Constituída em 1853, mantém-se propriedade da família homónima há cinco gerações. Mestres em conservar o sucesso, produz 15 mil toneladas de conservas por ano, 10 mil das quais para exportação. Tem um projecto de investimento de 16 milhões de euros numa nova fábrica, a instalar em Matosinhos, a quatro quilómetros de distância da unidade actual.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.