Crise: FMI admite que Portugal enfrenta “situação difícil” mas garante que país não pediu ajuda

Data:

A porta-voz do Fundo Monetário Internacional (FMI), admitiu esta quinta-feira que Portugal enfrenta uma “situação difícil”, mas garante que não foi entregue qualquer pedido de ajuda por parte do Governo português.

Segundo a porta-voz do FMI para as relações externas, Caroline Atkinson, citada pela agência de informação financeira Bloomberg, “Portugal está numa situação difícil e as autoridades vão precisar de continuar a desenvolver esforços para reduzir o défice orçamental”.

A responsável garantiu, no entanto, que o Governo português não apresentou nenhum pedido de ajuda até ao momento.

“Não temos nenhum pedido de ajuda de Portugal”, assegurou.

As declarações da responsável do FMI surgem no dia em que Portugal reportou a Bruxelas os números do défice orçamental.

O INE anunciou hoje a revisão em alta do défice para 2010 de 6,8 por cento para 8,6 por cento. Esta alteração deveu-se à incorporação nas contas nacionais das imparidades com o Banco Português de Negócios (BPN), que acrescentam um ponto percentual ao défice de 2010, 0,5 pontos percentuais provenientes das empresas de transporte e 0,3 pontos percentuais relativas ao Banco Privado Português (BPP).

A nova metodologia, aplicada em diversos países, leva assim no caso de Portugal a uma revisão do défice em 1,8 pontos percentuais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.