Barreiro: Lamas industriais aproveitadas para produção de energia

Data:

As lamas resultantes da actividade das estações de tratamento de águas residuais serão aproveitadas para produção energética em duas unidades, a primeira a instalar no Barreiro num investimento de 100 milhões de euros, avançou a Ministra do Ambiente.
“Com vista a valorizar as lamas das ETAR da região de Lisboa e incorporar combustíveis derivados de resíduos urbanos”, ou seja, lixos que não podem ser reciclados nem têm aproveitamento orgânico, “a Águas de Portugal propôs a criação de duas centrais de valorização energética, com um orçamento de 100 milhões de euros cada uma”, referiu a governante, Dulce Pássaro.
O primeiro projecto a avançar, “a curto prazo”, será instalado no parque industrial do Barreiro.
Depois de recolhido o lixo urbano, os resíduos são separados: alguns materiais são reciclados, outros destinam-se a aproveitamento orgânico, mas uma parte não pode ser utilizada em qualquer destas soluções. Estes “restos” (combustíveis derivados de resíduos) irão agora juntar-se às lamas das ETAR e serão queimados para produção energética.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.