Venezuela: Combate à pobreza e inclusão social vão ser debatidos pela comunidade portuguesa

Data:

Encorajar a participação e o compromisso da comunidade na luta contra a pobreza e a exclusão social é um dos objectivos do I Encontro da Comunidade Portuguesa na Venezuela sobre Inclusão Social e Combate á Pobreza, que se vai realizar a 13 e 14 de Novembro no Centro Português de Caracas.

Encorajar a participação e o compromisso da comunidade na luta contra a pobreza e a exclusão social é um dos objectivos do I Encontro da Comunidade Portuguesa na Venezuela sobre Inclusão Social e Combate à Pobreza, que se vai realizar a 13 e 14 de Novembro no Centro Português de Caracas.

A iniciativa é promovida pelo Consulado-Geral de Portugal na capital da Venezuela em parceria com a Academia da Espetada de Caracas e insere-se no âmbito do Programa Nacional do Ano Europeu de Combate à Pobreza e Exclusão Social.

“O fenómeno da pobreza, porventura a dimensão mais visível da exclusão social, sempre teve expressão no seio da comunidade portuguesa radicada na Venezuela mas a consciencialização e debate sobre esta temática é relativamente recente”, destaca o Consulado de Portugal em Caracas numa informação divulgada sobre o Encontro considerando que, por esse motivo, é “vantajoso” o lançamento “de um encontro de reflexão e um debate abrangente com os principais parceiros que têm um envolvimento no domínio social no seio da comunidade portuguesa na Venezuela, fomentando assim a consciência de que o combate à pobreza e exclusão social (em todas as dimensões) é uma responsabilidade de todos e requer actuações aos mais diversos níveis”.

De entre os objectivos do Encontro, o Consulado-Geral de Portugal espera que seja um espaço de testemunho das pessoas com experiência directa ou indirecta no combate à pobreza e exclusão social e mobilize os intervenientes, considerando que “é necessário um esforço continuado a todos os níveis de governação”. Dar voz às preocupações e necessidades de quem vive situações de pobreza e de exclusão social, motivar os cidadãos portugueses e estimular a rede associativa a participar na luta contra a pobreza e a exclusão social e ajudar a derrubar os estereótipos e a estigmatização associados a essas situações, são outros objectivo do Encontro.

Os organizadores esperam também que o evento venha reforçar a solidariedade entre gerações e sectores diversos do meio associativo e contribuir para a afirmação da comunidade portuguesa e das suas estruturas na Venezuela e para o prestígio de Portugal.

Entre os participantes já confirmados, estão o embaixador de Portugal em Caracas, João Caetano da Silva, que irá presidir à abertura oficial do Encontro, Edmundo Martinho, Presidente do Instituto da Segurança Social de Portugal, Carlos Rotondaro Cova, Presidente do Instituto Venezolano Seguros Sociale, Omaira Camacho Carrion, Defensora Publica Geral, além de diplomatas e representantes da rede associativa luso-venezuelana, conselheiros das comunidades portugueses e cônsules honorários de todo o país.

Para mais informações, contactar o Consulado de Portugal em Caracas através do mail@caracas.dgaccp.pt

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.