Simão Sabrosa renuncia à Selecção Nacional

Data:

Simão Sabrosa, extremo do Atlético Madrid, com 30 anos, renunciou à selecção portuguesa, numa missiva endereçada ao presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

“Venho, pelo presente, e formalmente, comunicar junto de V.Exa. que, a partir desta data, e em virtude de motivos de ordem pessoal, não poderei estar disponível para representar oficialmente, e como jogador profissional, a selecção nacional de futebol”, disse Simão, numa carta publicada na página do organismo.

Simão soma 85 internacionalizações AA, com 22 golos marcados.

“Foi uma tremenda honra e prazer vestir a camisola da selecção nacional e representar e servir Portugal durante todos estes anos, e estou extremamente orgulhoso por ter feito parte de equipas tão extraordinárias que conquistaram tantas vitórias neste mundo do futebol”, explica ainda o jogador.

O avançado revela também que, “após uma profunda reflexão”, chegou o “momento de colocar um termo” à sua presença “enquanto jogador profissional a representar a selecção dentro de campo, dando assim espaço também a que novos valores possam fazer o seu percurso de sucesso”.

“Recordo ainda hoje, com muito orgulho, o dia em que, com 15 anos, representei Portugal pela primeira vez, e desde essa data outros fantásticos momentos como ter sido campeão europeu de sub-16, a minha primeira internacionalização A contra Israel, jogo em que marquei também um golo, ter sido vice-campeão europeu em 2004, naquele que foi considerado o melhor Europeu de sempre e organizado pelo nosso país, bem como ainda o Mundial de 2006, em que vivi momentos que jamais esquecerei”.

Simão Sabrosa agradece aos “colegas, médicos, massagistas, seleccionadores, treinadores, corpo técnico e dirigentes” e aproveita para dizer que continuará “sempre a apoiar a seleção fora das quatro linhas e ainda para desejar a todos os maiores sucessos futuros”.

O presidente da FPF, Gilberto Madaíl, elogiou o percurso de Simão, também numa nota publicada na página do organismo e salientou o “empenho que o avançado demonstrou ao serviço” de Portugal.

“Fiquei emocionado ao ler a carta que o Simão me enviou. Lamento a decisão, mas tenho, naturalmente, que aceitá-la, respeitando os motivos invocados, para além de registar com agrado as suas palavras de apoio. Nesta altura, devo destacar e agradecer todo o empenho com que o Simão sempre encarou os trabalhos da ‘Equipa de Todos Nós’. Tive muitas conversas com ele ao longo dos tempos, até pelo facto de ele ser um dos capitães de equipa e recordo bem o grande orgulho que sentia em representar Portugal. Esse era o valor mais importante para ele. Nunca me esquecerei dos bons momentos que vivemos na secleção – e foram muitos”, disse Madaíl.

O líder federativo aplaude ainda o talento do jogador, formado no Sporting.

“Quer pelo seu enorme talento, quer por esta enorme vontade de servir o país da melhor maneira possível, o Simão é e será sempre um símbolo da selecção nacional. Agradeço-lhe, em meu nome pessoal, da FPF e do futebol português, tudo o que fez pela nossa selecção, desejando-lhe as maiores felicidades pessoais e profissionais”, afirmou Gilberto Madaíl.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.