Brilham em Portugal com Cabo Verde no coração

Data:

São grandes figuras do desporto português. Nomes como Nélson Évora, Jorge Andrade, Rolando, Nani ou as ex-glórias Oceano e Carlos Alhinho dão um ritmo cabo-verdiano ao nosso país. Defendem as cores portuguesas nas suas modalidades mas nunca esquecem o país que os viu nascer ou com o qual, mesmo tendo nascido em Portugal, nutrem uma ligação muito próxima.

Portugal e Cabo Verde tem uma ligação sentimental de profundo respeito e amizade. São vários os nomes cabo-verdianos no dia-a-dia dos portugueses e o desporto não é excepção.
Nélson Évora, Nani, Rolando, Jorge Andrade, Oceano, Marco Fortes, ou Manuel Fernandes são atletas que nasceram ou, apesar de já terem nascido em Portugal, mantêm uma ligação com o arquipélago africano. E há muitos jogadores que não aparecem nas primeiras páginas dos jornais como Platini (Santa Clara) ou Fortes (jogador do Vele Formoso nos Açores).
Talvez a maior vedeta portuguesa com ligação a Cabo verde seja Nani. Luís Carlos Almeida da Cunha nasceu no dia 17 de Novembro de 1986 na Cidade da Praia. Apesar de ter nascido em Cabo Verde, Nani acompanhou a sua família ainda muito novo quando emigraram para Portugal. O internacional português cresceu na Amadora onde foi criado e educado pela sua tia Antónia. Deu os primeiros pontapés a sério no Real Sport Clube e em pouco tempo transferiu-se para jogar nas camadas jovens do Sporting. Após dois anos no clube, foi promovido à equipa principal do Sporting na temporada 2005-06 onde permaneceu até final da temporada 2006-07. Em Maio de 2007 assinou um contrato com o Manchester United onde hoje é uma das principais figuras.
Nani estreou-se na selecção portuguesa com 19 anos apenas numa amigável com a Bélgica. E foi mesmo uma estreia em grande com o extremo a fazer um golo. Recentemente falhou o Mundial 2010 por lesão. Em entrevista dada recentemente por Nani ao portal cabo-verdiano “nhaterra”, disse ter Cabo Verde e Portugal “no coração”, admitindo, porém, que se sente “mais cabo-verdiano do que português”.
Grande figura da selecção portuguesa e do Sporting, Oceano da Cruz também é o exemplo de um atleta nascido em Cabo Verde e que brilhou com as cores portuguesas. Oceano nasceu no dia 29 de Julho de 1962 em São Vicente. A família optou por viver em Portugal quando ele era ainda uma criança. Começou no Almada FC, antes de se mudar para o Nacional da Madeira, sendo mais tarde contratado pelo Sporting. Dos leões viajou para a Real Sociedade regressando ao clube do coração em 1994. Depois de deixar o Sporting rumou ao Toulouse FC, onde terminou a sua carreira com 36 anos. Oceano jogou 54 vezes pela Selecção Portuguesa de Futebol ou marcou 8 golos. Hoje pertence aos quadros da Federação Portuguesa de Futebol onde é seleccionador nacional de Sub-21.
O ex-internacional português Jorge Andrade nasceu em Lisboa mas é descendente de Cabo Verdianos. Em 2006 visitou mesmo a ex-colónia portuguesa realizando uma visita de charme para promover o futebol e ajudar os mais carenciados. Na altura referiu que “já sentia há muito o espírito cabo-verdiano, mesmo em Portugal tenho muito contacto com a cultura cabo-verdiana mas estar aqui e poder ajudar é uma grande alegria”. O jogador, que na altura alinhava nos espanhóis do Deportivo da Corunha, aproveitou a sua estada em Cabo Verde, a convite da federação local, para visitar a Calheta de São Miguel e assim conhecer a terra dos seus pais.
Também o internacional português Miguel nasceu em Lisboa mas mantém uma ligação próxima com a cultura cabo-verdiana. Actualmente joga no Valência de Espanha e já vestiu as camisolas do Estrela da Amadora, Benfica e Bétis de Sevilha. Luís Miguel Brito Garcia Monteiro nasceu em Lisboa, no dia 4 de Janeiro de 1980, mas tem origem cabo-verdiana. Cresceu em Chelas, Zona M de Lisboa, e já vestiu a camisola da selecção por dezenas de vezes.
Também da selecção portuguesa, Rolando nasceu em Cabo Verde e iniciou a sua formação desportiva em São Vicente (Cabo Verde), sua ilha natal. Naturalizado português, o defesa central do FC Porto despertou o interesse dos Dragões ainda no Belenenses.
Das ex-glórias portuguesas destaque para o antigo internacional Carlos Alhinho Alhinho, que faleceu aos 59 anos, jogou por Benfica, Sporting e FC Porto, e representou também a Académica e o Portimonense. Orientou as selecções de Angola e de Cabo Verde, para além de ter treinado uma série de clubes. Nascido em São Vicente, Cabo Verde, a 10 de Janeiro de 1949, estreou-se na selecção portuguesa frente à Irlanda do Norte, em 28 de Março de 1973, e, no total, somou 15 internacionalizações.
As grandes figuras do desporto nacional que têm ligação a Cabo Verde são do futebol. Mas no atletismo muitos dos atletas que conquistam medalhas para o nosso país nasceram ou são descendentes do país que foi descoberto em 1460 por Diogo Gomes ao serviço da coroa portuguesa. Nélson Évora é o melhor exemplo. O atleta português até nasceu na Costa do Marfim em 1984 mas como o seu pai é cabo-verdiano adquiriu essa nacionalidade. Veio viver para Portugal quando tinha cinco anos fixando-se em Odivelas. Hoje, Nélson Évora é dos atletas portugueses mais acarinhados e respeitados. Medalhado olímpico, Nélson bate recordes atrás de recordes e mantém a mesma humildade do início de carreira.

Ana Rita Almeida
ralmeida@mundoportugues.org

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.