SISAB tem papel estratégico na internacionalização das empresas

Data:

Cerca de 2500 empresários, entre produtores portugueses e importadores estrangeiros, marcaram presença no Pavilhão Atlântico, em Lisboa, para negociarem exclusivamente com produtos portugueses dos sectores alimentar e de bebidas. O SISAB é cada vez mais um evento estratégico na internacionalização das empresas portuguesas que mostram neste evento a qualidade das suas marcas e a excelência dos seus produtos, cada vez mais apreciados no estrangeiro. A presença de empresários de 80 países durante os três dias em que decorreu o SISAB2010 é prova disso.

Mais de 2500 empresários entre produtores portugueses e importadores estrangeiros marcaram presença no 1º dia do Salão Internacional do Sector Alimentar e Bebidas que teve lugar no dia 22 de Fevereiro no Pavilhão Atlântico, em Lisboa.

Com a certeza de que no SISAB podiam negociar exclusivamente com os melhores produtos portugueses – este ano o número excede as 427 presenças em representação de 16 sectores – foram cerca de 1200 importadores, de cerca de 80 países, que marcaram presença naquela que é considerada pelos agentes económicos como a maior feira internacional dos sectores alimentar e de bebidas.

Crescimento constante

Angola, Polónia, Canadá, República Checa, Estados Unidos, Brasil, Rússia, Japão, Índia, China, Alemanha, Dinamarca, Estónia, Noruega, Roménia, Ucrânia, França, República Checa, Hungria, Suécia, África do Sul, São Tomé e Príncipe e Brasil estão entre os países importadores de produtos portugueses que marcaram presença na edição deste ano do SISAB.

Carlos Morais, organizador do evento que este ano festeja os 15 anos, lembrou na abertura do evento precisamente o início do SISAB, um percurso “que iniciámos juntos e que nos trouxe aqui hoje, conscientes de que participamos num ideal totalmente dedicado à satisfação empresarial de todos os presentes”.

O presidente do SISAB lembrou que o crescimento do evento resulta de uma confiança depositada na organização por parte do próprio sector agro-alimentar que “coloca nas mãos do SISAB a dinâmica da sua própria internacionalização”. “As empresas foram as primeiras a compreender a mensagem de crescimento e responderam com entusiasmo” elogiou.

Carlos Morais não escondia a satisfação por mais uma vez os objectivos terem mesmo sido superados. “O número total excede as 427 presenças em representação de 16 sectores. Este ano, para além dos sectores mais tradicionais, temos também grandes reforços de representação da Fruticultura, Horticultura, Floricultura e Floresta, produtos Gourmet, biológicos e ainda transportes, logística e cutelaria” disse. Carlos Morais referiu ainda que “as empresas nacionais que aqui se encontram são, sem dúvida, nenhuma as melhores, as que mais qualidade de produto garantem e as que têm de facto um verdadeiro projecto de internacionalização, garantindo assim uma excelente confiança negocial aos parceiros internacionais com quem se irão relacionar. E reafirmo que todas aquelas aqui presentes são empresas de excelência”.

Sobre o potencial do certame no incremento do sector exportador, Carlos Morais sublinhou que “é por essa razão que apesar de estarmos a passar por uma crise mundial que pode ser a pior dos últimos setenta anos, a presença maciça

A sessão de abertura do XV SISAB contou com a presença de Rui Barreiro (Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural em representação do Ministro da Agricultura António Serrano), Basílio Horta (AICEP – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), Edite Azenha (Vice-Presidente do Instituto do Vinho e da Vinha), Rocha Moreira (em representação BANIF), Luís Vasconcelos (em representação do BÊS) e Pedro Laranjeiro (em representação da Caixa Geral de Depósitos).

O Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Rui Barreiro, destacou em declarações ao «O Emigrante/ Mundo Português» que “a economia portuguesa precisa de se internacionalizar mais. Não apenas vivendo dos emigrantes, que estão nos quatro cantos do mundo e mantêm uma ligação fortíssima com os produtos das suas terras, mas também provando que Portugal conseguiu demonstrar que aquilo que são produtos de qualidade cá, são de muita qualidade em qualquer mercado”.

Rui Barreiro teceu elogios ao SISAB referindo que “este evento coloca aqui no Pavilhão Atlântico compradores que ampliam as oportunidades de negócio da indústria agro-alimentar portuguesa” fazendo questão de sublinhar que a internacionalização da economia portuguesa tem sido um dos maiores objectivos do actual governo e que o sector agro-alimentar tem tido muita importância nessa matéria. “Parabéns ao SISAB por garantir novas oportunidades de negócio que é o objectivo do certame. Portugal é um pequeno país mas um grande país a nível de diversidade” disse ainda durante a sessão de abertura do evento.

Edite Azenha, do Instituto do Vinho e da Vinha, lembrou que “o SISAB é de maior importância já que os produtos portugueses têm uma excelente reputação e o mercado lusófono em particular beneficia da acção destes portugueses e do papel desta feira”. Edite Azenha realçou também que “o IVV tem um papel institucional nesta feira até porque este é um sector estratégico para o país”. “O IVV tem várias medidas de apoio à reestruturação das vinhas, que estão muito envelhecidas, e tem tem um papel de apoio às empresas que dirigem energias para os mercados externos, em particular Brasil e Angola, que são prioritários” referiu.

Além da bolsa de contactos e negócios, o evento – que se destina apenas a profissionais do sector – é também palco de provas e mostras de produtos, com o intuito de promover a sua internacionalização junto dos importadores. Por exemplo, um dos pontos de destaque do SISAB são as refeições confeccionadas apenas com produtos de empresas participantes no evento e que tornam o SISAB num evento único.

Ana Rita Almeida
ralmeida@mundoportugues.org

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.