Portugal exporta mais 30% para Palop e Timor

Data:

Portugal exportou mais 30,5 por cento para os países africanos de língua portuguesa e para Timor-Leste em 2008, continuando a tendência de subida que se verifica desde 2000, segundo dados divulgados pelo Banco de Portugal (BdP). Para aqueles mercados, Portugal exporta sobretudo, máquinas e aparelhos e produtos alimentares.

As exportações para os PALOP e para Timor-Leste somaram 2.701,4 milhões de euros em 2008, tendo Angola se mantido como o principal mercado, responsável por 84 por cento do total dos produtos exportados para esses países.
Quanto às importações, atingiram 452,2 milhões de euros, representando uma subida de 12,1 por cento em relação ao ano anterior. Assim, o saldo da balança comercial de Portugal com o conjunto dos PALOP e Timor-Leste elevou-se a 2444,4 milhões de euros, indica o Banco de Portugal (BdP).
O relatório «Evolução das Economias dos Palop e Timor-Leste 2008-2009» do BdP destaca que as relações comerciais de Portugal com aqueles mercados lusófonos “continuaram em 2008 a trajectória de crescimento dos últimos anos”, mas salienta que ainda mantêm “um peso relativo bastante reduzido no total do comércio externo português”.
Em 2008, as exportações para Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste representaram 7,07 por cento das exportações portuguesas, enquanto as importações registaram 0,76 por cento. Embora os seis países tenham intensificado as relações comerciais com Portugal, o aumento do volume das exportações para esses países foi principalmente determinado pelo mercado de Angola, que em 2008 importou mais 586,2 milhões de euros em bens e produtos portugueses. O relatório destaca ainda o crescimento das exportações destinadas a Cabo Verde – mais 13,7 por cento, que correspondem a 31 milhões de euros.

Máquinas e bens alimentares

O relatório refere ainda que Portugal continua a exportar sobretudo máquinas e aparelhos, bens alimentares e metais comuns – responsáveis por 54 por cento do total de produtos enviados para esses países – e importa essencialmente combustíveis minerais (petróleo) provenientes de Angola.
Desfavorável a Portugal são as transferências correntes, com as remessas dos imigrantes africanos e timorenses, enviadas para os Palop e Timor, a mostrarem-se mais elevadas do que a transferência de portugueses residentes nesses países. Contudo, o estudo destaca o facto de se ter vindo a assistir “ao aumento gradual e sustentado das remessas dos emigrantes portugueses em Angola”.

Ana Grácio Pinto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.