Luxemburgo: Portugueses participam manifestação contra a crise

Data:

Os portugueses representam actualmente 30 por cento dos desempregados no Luxemburgo, problema que os levará a participar amanhã numa manifestação nacional contra a crise económica, explicou à Agência Lusa o conselheiro das comunidades naquele país.

“Das 14 mil pessoas desempregadas no Luxemburgo, 30 por cento são portugueses, num universo de 480 mil habitantes do país”, declarou Eduardo Dias, membro do Conselho das Comunidades Portuguesas (CCP) e líder sindical no Luxemburgo. Eduardo Dias salientou ainda que há 80 mil portugueses residentes no país, dos quais 35 mil são trabalhadores activos. “A comunidade portuguesa é a mais atingida pela crise económica no Luxemburgo, tanto na questão do desemprego, como na questão salarial”, acrescentou.

O conselheiro espera que no sábado, “uma grande concentração de portugueses participe na manifestação contra a crise económica”, mas não conseguiu quantificar o número de pessoas da comunidade que estarão presentes no evento. “O apelo para a realização de uma manifestação foi feito pela OGBL (associação sindical de que faz parte), e foi aceite por outros sindicatos e movimentos associativos, que agora organizam em conjunto esta manifestação nacional”, referiu ainda à Lusa.

“A crise financeira é cada vez mais uma crise social, estamos a assistir a um aumento do número de desempregados no país e as empresas trabalham cada vez mais com o que chamamos de regime do desemprego técnico, trabalha-se uns dias e outros não”, disse o sindicalista, acrescentando que são muitos os trabalhadores nesta situação.

Segundo Eduardo Dias, a manifestação de sábado, além de servir para protestar contra a crise financeira, é uma forma de confrontar as organizações patronais que “pretendem colocar em causa as regalias sociais já obtidas, como indexação automática dos salários e das pensões, além dos montantes do subsídio de desemprego”.

A manifestação será uma forma também de reivindicar junto dos partidos políticos um compromisso para lutar contra estes efeitos negativos da crise financeira mundial no país, já que há eleições europeias e legislativas, ambas a 07 de Junho.

De acordo com um folheto informativo distribuído pela OGBL, a manifestação será uma forma de reivindicar, entre outras questões, a segurança nos empregos, a defesa do direito à Segurança Social e às pensões. Os trabalhadores vão também protestar contra “os ataques  repetidos” aos salários, às condições de  trabalho e às convenções colectivas de trabalho, os “ataques contínuos ao índex” e “o tratamento desigual dos salários”, refere a OGBL.

A concentração está agendada para a Place de la Gare-Luxemburgo, às 15h15.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.