Taça da Europa de Atletismo: Portugal com saldo positivo

Data:

As selecções portuguesas de atletismo masculina e feminina garantiram em Leiria, no Grupo A da I Liga da Taça da Europa, entrada directa na Superliga de 2009, que vai ser disputada em Portugal.
Colectivamente, Portugal foi terceiro em masculinos e quinto em femininos, mas a soma das duas pontuações garantiu um lugar inédito entre as 12 melhores selecções europeias que vão disputar a renovada Superliga, que reúne a elite do atletismo europeu.
A selecção nacional já tinha direito a participar na próxima Superliga, por ser o país organizador, mas o acesso directo à competição tinha sido um objectivo traçado pela Federação Portuguesa de Atletismo.
No sector masculino, Portugal falhou a vitória por muito pouco, numa competição marcada pelo equilíbrio: a selecção nacional terminou a primeira jornada na frente, mas hoje a vitória final foi para a República Checa, com 106 pontos, os mesmos da segunda selecção, a Holanda, enquanto Portugal perfez 105 pontos.
Individualmente, o destaque vai para Nélson Évora, que contribuiu com duas vitórias para Portugal, no salto em comprimento e triplo salto, ao passo que Francis Obikwelu venceu os 100 metros e a estafeta de 4×100 também cortou a meta em primeiro lugar.
Ao segundo lugar do pódio subiram Edivaldo Monteiro (400 metros barreiras), Rui Silva (5.000 metros), Ricardo Ribas (3.000) e a estafeta de 4×400 metros, que terminou em terceiro mas beneficou da desqualificação da equipa da República Checa.
Marco Fortes, no peso, foi o único terceiro classificado masculino de Portugal.
No sector feminino, Portugal chegou ao fim com 84 pontos, longe dos 125 conseguidos pela Espanha, que venceu em Leiria, completando o pódio a República Checa (107 pontos) e a Bélgica (91).
Naide Gomes somou a única vitória portuguesa no sector feminino, no comprimento, mas Portugal coleccionou vários segundos lugares: Helena Tavares (salto com vara), Jéssica Augusto (3.000 metros), Sara Moreira (3.000 obstáculos), Fernanda Ribeiro (5.000 metros) e Sílvia Cruz (lançamento do dardo), que fixou um novo recorde nacional (59,76 metros).
Tal como nos homens, Maria do Carmo Tavares foi a única terceira colocada, nos 800 metros.
José Barros, Director Técnico Nacional, assumiu no final estar "muito satisfeito" com a classificação de Portugal entre os 12 melhores da Europa.
"Aquilo que durante uns tempos não passou de um sonho, ao fim de 21 provas permitiu-nos, aqui em Leiria, acreditar que poderia ser realidade", disse o seleccionador, sublinhando a prestação "altamente positiva" das equipas nacionais, em que houve "superação, mas também resultados, fruto de alguma inexperiência".
O próximo desafio do atletismo nacional são os Jogos Olímpicos Pequim2008 e, depois do sucesso em Leiria, José Barros está confiante: "Acreditamos que os nossos processos estão a ser correctos e vamos ver se conseguimos o objectivo de chegar a finais, lutar pelos melhores resultados e, se possível, por medalhas".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.