PSD: Passos Coelho anuncia hoje se se candidata às eleições de 24 de Maio

Data:

O social-democrata Pedro Passos Coelho anuncia se vai candidatar-se às próximas eleições directas para a liderança do PSD, depois de Luís Filipe Menezes se ter demitido quinta-feira à noite.
Nos últimos meses, Pedro Passos Coelho, ex-líder da Juventude Social-Democrata e que integrou a equipa dirigente de Marques Mendes, de que se afastou, tem afirmado a sua disponibilidade para se candidatar à liderança do PSD, mas também sempre advertiu que nunca pretenderia abrir qualquer crise interna política para interromper o mandato de presidente de Luís Filipe Menezes.
No entanto, o líder social-democrata anunciou de surpresa na quinta-feira à noite que vai solicitar, na próxima semana, ao Conselho Nacional do partido, a convocação de eleições directas para 24 de Maio, às quais, disse, não se vai candidatar.
"Vou solicitar, na próxima semana, ao Conselho Nacional, que convoque directas para 24 de Maio. Não estou na corrida", afirmou quinta-feira à noite numa conferência de imprensa na sede do PSD em Lisboa, em que os jornalistas não tiveram direito a colocar perguntas.
Confrontado com esta posição de Luís Filipe Menezes, o ex-líder da Juventude Social Democrata recusou-se a fazer comentários.
Horas antes, Pedro Passos Coelho tinha saudado "o aparecimento de Aguiar Branco", que se declarara disponível para disputar a liderança do PSD, considerando que é mais um contributo para o debate sobre o caminho do partido.
Em declarações à agência Lusa, Pedro Passos Coelho defendera que "o PSD precisa de fazer uma reflexão sobre o caminho que está a trilhar".
"Todos os que possam contribuir para esse debate e para essa reflexão devem fazê-lo. Desse ponto de vista, só posso saudar o aparecimento do dr. Aguiar Branco", acrescentou o ex-presidente da JSD.
Passos Coelho tem reiterado desde o início do ano a sua disponibilidade para se apresentar a eleições directas para a liderança do PSD "quando elas acontecerem", sublinhando que não pedirá a sua antecipação porque "os mandatos são para se cumprir".
Em entrevista à edição de quinta-feira da revista Visão, o deputado social-democrata José Pedro Aguiar Branco afirmou-se disponível para ser candidato a presidente do PSD, defendendo que o mandato da actual direcção do partido deve ser interrompido até ao final do ano.
Questionado pela Visão se será candidato contra Pedro Passos Coelho, Aguiar Branco respondeu: "No devido tempo se avaliará quem tem condições para protagonizar uma alternativa com capacidade de afirmação".
Há uma semana, Pedro Passos Coelho afirmou à agência Lusa que não foi candidato nas últimas directas, em Setembro do ano passado, porque não queria concorrer contra o ex-presidente do PSD, Marques Mendes, que foi derrotado nessas eleições por Luís Filipe Menezes.
Passos Coelho sustentou que quando houver eleições internas tem "a obrigação moral" de defender as suas ideias e de lhes dar "uma consequência política", disputando a liderança do PSD, mas ressalvou que "não há decisões destas que sejam incondicionais, contra tudo, contra todos, em quaisquer circunstâncias".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.