Autarquias: câmaras mais endividadas protestam contra cortes

Data:

Os autarcas das 22 Câmaras mais endividadas reúnem-se hoje em Lisboa para, segundo fonte autárquica, decidir uma posição conjunta contra os cortes nas transferências de verbas do Orçamento de Estado, relativos ao excesso de endividamento.

As 22 câmaras municipais que ultrapassaram o limite de endividamento líquido em 2006 deverão sofrer um corte de 10 por cento nas transferências do Fundo de Equilíbrio Financeiro pelo número de duodécimos necessário à regularização da situação.

A decisão da Direcção-Geral das Autarquias Locais (DGAL) gerou o descontentamento entre os autarcas, alguns dos quais admitem recorrer junto dos tribunais.

«Vamos analisar a situação das 22 autarquias e tomar uma posição conjunta sobre a retenção das verbas do Orçamento de Estado relativas ao excedente dos limites de endividamento», explicou Pedro do Carmo, presidente da Câmara Municipal de Ourique, uma das autarquias envolvidas e que admitiu vir a recorrer da decisão da DGAL junto dos tribunais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.