Segunda maior cadeia de restaurantes de frango é portuguesa

Data:

Fernando Duarte, natural do Porto, chegou à África do Sul com quatro anos. Pouco depois, o pai enviou-o para Moçambique para aprender a falar português. Quando regressou, aos 16 anos, começou à procura de emprego.
“O meu pai tinha uma empresa de construção e queria que eu me juntasse a ele. Mas a construção não me dizia nada e acabei por preferir o ramo da electrónica”, explica o português. Em 1985, entrou para uma empresa chamada Teltron e rapidamente ascendeu a director técnico.

Quando a companhia foi vendida, numa época em que a economia sul-africana dava sinais de estagnação, Fernando teve de tomar uma decisão: voltar para Portugal ou ficar em África e arriscar um negócio por conta própria. Optou pela segunda hipótese. “Juntamente com o meu colega Robert Brozin, cujo pai era o proprietário da Teltron, entrámos no ramo da restauração”, diz.
Nasceu ali a Nando’s Chiken.

Hoje, a dupla de empresários passa a maior parte do tempo em reuniões nos três escritórios da empresa na capital sul-africana. A hora das refeições, essa, costuma ser passada nos restaurantes. Fernando nunca se farta de comer frango: “temos paixão por aquilo que fazemos e, por isso, comer frango quatro a cinco vezes por semana é uma coisa natural”, diz.

Para descansar do trabalho, Fernando encontrou o refúgio ideal. Ao fim-de-semana, a família costuma ir para uma casa de campo, numa reserva, onde se pode jogar golfe, praticar exercício físico, descontrair num ‘spa’ e ver animais selvagens como girafas e zebras. A Portugal vem “quatro vezes por ano”.

No dia 13 de Novembro, a cadeia Nando´s celebrou 20 anos. Todas as lojas sul-africanas fecharam nesse dia e os seus 6500 empregados naquele país foram convidados para um festa de arromba em Joanesburgo. Fernando não quis que ninguém faltasse e mandou fretar 500 aviões.

 

No princípio era o frango

 

O primeiro restaurante Nando nasceu em Setembro de 1987, num pequeno subúrbio de Joanesburgo chamado Rosettenville. Esta localidade era, à época, o coração da comunidade portuguesa naquela cidade sul-africana, sendo que a maioria tinha acabado de chegar de Moçambique e tinha saudades dos pratos de comida portuguesa.

Ao longo dos anos, o prato mais vendido foi sempre o mesmo: nenhuma outra receita conseguiu bater o meio-frango com piri-piri. “Era um dos pratos favoritos dos portugueses em Moçambique. Foi a junção do frango com o picante, produto tipicamente africano, que criou o prato mais vendido do Nando´s”, conta Fernando Duarte.

O negócio foi ganhando asas e, agora, vai de vento em popa em muitos países. Na África do Sul, por exemplo, a empresa planeia juntar mais 150 às actuais 250 lojas. Um reflexo do crescimento da economia: “a classe média cresceu e isso criou novas oportunidades de negócio”, diz o empresário.
Em Inglaterra, a cadeia conta com 170 lojas e é a partir deste país que a marca quer crescer para França, Espanha e Portugal. Nas nações árabes, como Paquistão, Oman e Qatar, o êxito é ainda mais visível. Chegam a ser servidas 30 mil refeições diárias e o número de vendas até nem diminui na época do Ramadão.

O amigo Rui Martins diz que Fernando Duarte “é muito ponderado e estuda muito a entrada em novos mercados. Arrisca, mas com os pés bem assentes na terra”.

 

Fórmula de sucesso

 

O meio frango grelhado com piri-piri é o prato mais vendido nos Nando’s de todo o mundo. A refeição é acompanhada de batatas fritas, arroz, salada e pão. O modo de preparação do frango obedece a uma fórmula mágica: as aves são criadas durante 41 dias, altura em que atingem o peso ideal – 800 gramas. A gordura é removida com muito cuidado e a carne é grelhada num fogão a gás. O que parecia uma desvantagem – não ser cozinhado a carvão – acabou por ser decisivo para o sucesso do negócio.
“Assar no churrasco é fácil para quem tem apenas uma loja ou duas. Mas com muitas…”, afirma Fernando Duarte.

Foi, precisamente, a uniformização dos restaurantes que permitiu um crescimento à escala mundial. Actualmente, a cadeia Nando´s tem 700 estabelecimentos, próprios e franchisados, espalhados por 33 países. Um feito que faz da marca a segunda maior cadeia de restaurantes de frango do mundo, a seguir à Kentucky Fried Chicken.

A título de curiosidade falta referir que a Nando’s tem como símbolos o galo de Barcelos e o escudo da bandeira portuguesa. “O facto de o galo se levantar e cantar faz-nos identificar com os valores da marca do Nando’s”, diz o empresário. Já o escudo é “um símbolo que promete dar a qualidade e o sabor que todos os clientes esperam e é também uma forma de ligar a marca a Portugal”, assegura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.