Forças policiais em vigilância devido a ameaça de bomba em Faro

Data:

As forças de segurança do Algarve foram accionadas na sequência de um telefonema para um jornal da região a alertar para uma bomba da ETA em Faro, disse à Lusa a Governadora Civil.

 

Apesar do alerta, a Governadora Civil de Faro disse à Lusa que a população não deve ficar alarmada.

«Houve uma chamada anónima para a redacção de um jornal dando conhecimento de uma ameaça de bomba», disse a Governadora Civil de Faro, Isilda Gomes, referindo que por estarem em causa «razões de segurança» foi accionado de imediato o gabinete coordenador de segurança que é composto por todas as forças de segurança da região.

«As forças de segurança tomaram as medidas convenientes e adaptadas à situação eventual de uma bomba», explicou Isilda Gomes, especificando que desde o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, passando pela Polícia Judiciária, PSP, GNR, Autoridade Marítima, Aeroporto de Faro e mesmo o SIS estão a fazer prevenção.

A Lusa contactou a PSP de Faro que confirmou que está em curso um conjunto de diligências de prevenção, vigilância e unidades adequadas à situação na sequência de uma chamada telefónica anónima sobre uma alegada ameaça de bomba.

O sub-director Nacional da Directoria da Polícia Judiciária de Faro remeteu para mais tarde eventuais esclarecimentos sobre o caso.

A responsável pelo Governo Civil de Faro acredita que este telefonema anónimo não passa de mais um falso alarme, «daqueles que muitas vezes são feitos», mas que a situação não pode ser descurada.

A chamada anónima – na qual um indivíduo falava em espanhol e francês – foi feita para o Jornal do Algarve, publicação com um historial de 50 anos e sede em Vila Real de Santo António, a dezenas de metros da fronteira espanhola e do rio Guadiana.

Segundo uma funcionária do Jornal do Algarve, que pediu anonimato, o número do semanário recebeu o telefonema às 09:10 e percebeu-se «em basco que estavam a fazer uma ameaça de bomba em Faro», mas não se «percebeu o local».

O director do Jornal do Algarve, Fernando Reis, adiantou à Lusa que a funcionária que recebeu a chamada disse que a voz do outro lado da linha telefónica pertencia a um homem de meia idade que falou num «tom sereno» em três idiomas diferentes: francês, espanhol e basco.

A mesma funcionária também disso que apesar do «muito ruído na linha» conseguiu entender que era da ETA e que estava a informar de uma ameça bombista em faro.

«O homem [da chamada anónima] disse que ia explodir uma bomba em Faro, mas não falou em hora, nem em dia», explicou Fernando Reis.

O director do Jornal do Algarve adiantou ainda que foi contactada a Portugal Telecom (PT) para conhecer o registo da chamada, mas as chamadas recebidas só são identificadas quando se encontram sob escuta telefónica.

Em Junho, a polícia espanhola descobriu em Ayamonte, sul de Espanha, um veículo abandonado com matrícula portuguesa verdadeira, com cerca de 100 quilos de explosivos da ETA no interior e em marcha uma operação «stop» fiscalizando os automóveis que saem de Ayamonte, sul de Espanha, em direcção ao Algarve, Portugal.

No dia 30 de setembro, Portugal e Espanha assinaram um acordo para criar uma equipa com polícias e magistrados dos dois países que investigará a existência de uma eventual infra-estrutura da organização ETA em território português.

Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.