Venezuela: Morte de Daniel Morais é “perda irreparável” para comunidade

Data:

O falecimento, hoje, de Daniel Morais, presidente do Instituto Português de Cultura é uma "perda irreparável" para a comunidade portuguesa radicada na Venezuela e para a cultura lusa.
"É uma perda irreparável, muito grande para a comunidade portuguesa e para a cultura porque ele foi uma pessoa muito activa e muito dedicada aos aspectos comunitários e culturais, um grande valor", disse, à Agência Lusa, Maria Helena Camacho Correia, presidente da associação cultural Abril.
Para o coordenador do Conselho das Comunidades Portuguesas na Venezuela, Inácio Pereira, trata-se de "uma grande perda para a comunidade porque ele foi um pioneiro e fundador do Centro Português de Caracas. Era um homem muito conhecido e estimado".
Segundo o presidente da Casa Portuguesa de Arágua (Maracay) "uma pessoa como ele é difícil de conseguir, em todos os sentidos. A educação que tinha e o que deu aos seus compatriotas fazem do falecimento uma grande perda para a nossa comunidade".
 Em declarações à Agência Lusa, o padre Alexandre Mendonça explicou que Daniel Morais "foi uma figura que marcou a história da nossa comunidade neste país, uma pessoa à qual me uniam laços de profunda amizade".
"Honrar o seu nome e apoiar os seus familiares nunca será demasiado por tudo aquilo que fez por todos nós", frisou.
Sérgio Morais, colega de Daniel Morais nas lides da Casa Fernando Pessoa e do Instituto Português de Cultura opina que "era um dos portugueses que mais trabalhou pelo associativismo e pela divulgação da cultura portuguesa na Venezuela, uma figura única".
Para os sócios do Centro Português de Caracas (CPC), trata-se "de uma perda muito grande, porque foi uma pessoa que sempre defendeu a comunidade e a nossa cultura. Trabalhou muito pelo Centro e inclusive muitas vezes secundarizou a família para apoiar este clube", disse o seu presidente, Juan Gonçalves.
A notícia do falecimento é, para Manuel Pereira, presidente do Centro Marítimo da Venezuela "um grande choque, porque são poucas as pessoas que dão tudo pela cultura e pelas instituições lusas".
O presidente do Instituto Português de Cultura e adido cultural da Embaixada de Portugal em Caracas, Daniel Morais, 83 anos, faleceu, hoje, pouco deppois das 10:00 horas locais (15:00 horas em Lisboa), vítima de problemas cardíacos.
Os restos mortais de Daniel Morais vão estar em câmara-ardente, a partir do final da tarde de hoje (noite em Lisboa), na Capela de Nossa Senhora de Fátima, no Centro Português de Caracas, onde pelas 20:00 horas locais (mais cinco horas em Lisboa) haverá uma missa.
O funeral ainda não tem data marcada, porque só se realizará depois da chegada à Venezuela de um dos filhos, residente em Portugal, e de uma filha que vive no Panamá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.