Dean: Furacão atingiu o México e perdeu intensidade

Data:

O furacão Dean atingiu hoje com intensidade máxima o México, junto à península do Iucatão, mas perdeu intensidade imediatamente a seguir, baixando da categoria cinco para três, informou o centro de vigilância de furacões de Miami (NHC).
O furacão, o primeiro da temporada no Atlântico, atingiu na madrugada de hoje a costa nordeste do México com uma intensidade correspondente ao nível mais alto da escala de Saffir-Simpson, o nível 5, a que correspondem ventos de cerca de 270 quilómetros por hora e rajadas que podem atingir os 350 quilómetros por hora.
O México não era atingido por um furacão tão forte desde 1988.
O Dean "tocou" o território mexicano perto de Majahual, um popular porto de cruzeiros turísticos, e seguiu na direcção das principais ruínas Maias e das plataformas petrolíferas da baía de Campeche.
Mas grande parte das estâncias turísticas mais frequentadas do país não foi directamente atingida pelo furacão, embora sofra naturalmente os efeitos da sua passagem com chuvas intensas e ventos muito fortes.
A redução de intensidade de 5 para 3 significa que os ventos são agora da ordem dos 200 quilómetros por hora e que o furacão avança, em direcção a noroeste, a uma velocidade média de 25 quilómetros por hora.
O NHC advertiu hoje que o furacão deverá recuperar intensidade quando acabar de atravessar o México e voltar a avançar sobre o mar.
Segundo o governador da península do Iucatão, Felix Gonzalez, não há até ao momento qualquer indicação de vítimas ou estragos materiais de grande dimensão mas, como disse o próprio à televisão mexicana Televisa, também ainda não foi possível enviar qualquer equipa para avaliar os estragos no terreno.
Em Tulum, popular estância balnear famosa por um importante conjunto de ruínas Maias, os ventos arrancaram palmeiras e telhados de zinco e provocaram o corte da energia.
O exército mexicano enviou 3.000 militares para o estado de Quintana Roo, que integra alguns dos principais destinos turísticos do México, como Cancún, para apoiar as populações e os turistas durante a passagem do furacão.
Para a região, designadamente para Cancun, Chetumal e Cozumel, foram igualmente enviados 25 médicos e cinco tendas de campanha, além de 50 abrigos com capacidade para mais de 10 mil pessoas.
Os aeroportos de Chetumal, Cozomel e Cancún estão encerrados desde a madrugada de hoje.
A embaixada de Portugal no México, destino de férias de largas centenas de portugueses, disponibilizou entretanto hoje um número de emergência – 005215554080342 – para dar informações sobre a evolução do furacão.
Segundo as autoridades nacionais, a embaixada está há vários dias em contacto com a protecção civil mexicana para garantir a segurança dos turistas portugueses que, à semelhança de outros turistas estrangeiros, foram deslocados para hotéis do interior para se protegerem dos efeitos do Dean.
Desde que se formou, na semana passada, o furacão Dean provocou avultados estragos na Martinica, Republica Dominicana, Haiti, Jamaica e Ilhas Caimão e um total de 12 mortos.
A ONU decidiu hoje enviar duas equipas de ajuda de emergência para a Jamaica e para o Belize para ajudar as autoridades nacionais a coordenarem a ajuda às populações afectadas e a troca de informações para facilitar a ajuda internacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.