Venezuela: Sequestradores de portugueses continuam sem contactar familiares

Data:

Quatro dias após o sequestro de quatro portugueses na Venezuela, no Estado de Táchira, os raptores continuam em silêncio, sem estabelecer qualquer contacto telefónico com familiares das vítimas, disse um familiar à Agência Lusa. "Até ao momento está tudo igual (13:00 horas locais, 18:00 horas em Lisboa), não houve qualquer contacto", disse José Barreto Cardoso, pai do comerciante português e avô dos três menores sequestrados.
O emigrante e antigo construtor acrescentou que "gostava de ter e de dar uma boa notícia, mas eles ainda não apareceram".
 José Barreto manifestou-se sensibilizado com a onda de solidariedade criada em torno da familia, destacando que "até em Portugal estão todos preocupados e a televisão portuguesa já tem uma equipa em Caracas".
"Só tenho de agradecer pela preocupação manifestada, mas está tudo igual", disse à Lusa o emigrante, natural de Vilar das Almas, Ponte de Lima, Viana do Castelo, a residir desde há 48 anos na Venezuela, na parte alta de Paramillo. Barreto acrescentou que a polícia venezuelana mantém contactos regulares com a família e está a seguir o caso, estando a fazer tudo o que é possível pela libertação do filho e dos netos.
Pouco depois das 16:00 horas locais de domingo (21:00 horas de Lisboa) desconhecidos raptaram o comerciante português David Barreto Alcedo, 37 anos, o filho, David Mariano Barreto Vales, 11, e os sobrinhos Alberto Luís Parra Barreto, 13, e José David Parra Barreto, 10 anos, no estado venezuelano de Táchira (a sudoeste de Caracas).
O sequestro ocorreu quando o grupo regresava de um passeio, durante o fim-de-semana à barragem de Uribante-Caparo. O veículo em que seguiam os quatro portugueses foi localizado pela polícia na estrada de "Los Llanos", que liga San Cristóbal, capital do Estado de Táchira, à fronteira com a Colômbia.
Uma outra fonte, contactada telefonicamente pela Agência Lusa, precisou que a polícia venezuelana está a efectuar rusgas nos terrenos e zonas de matagal e activou diversas operações nas estradas do sul do Estado de Táchira, mais precisamente nos municípios Libertador e Fernández Feo.
A fonte precisou ainda que a polícia está convencida que os portugueses se encontram em território venezuelano e quer impedir que sejam levados para a Colômbia ou entregues a grupos de paramilitares ou de guerrilheiros colombianos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.