Manifestação de emigrantes contra o encerramento de consulados

Data:

Emigrantes portugueses residentes em vários países do mundo, sobretudo em França, vão concentrar-se quinta-feira no Rossio, em Lisboa, para protestarem contra o encerramento dos consulados e a falta de políticas do governo dirigidas às comunidades.
"A razão principal da concentração é o encerramento de 11 consulados portugueses no mundo, quatro dos quais em França", disse à Agência Lusa o porta-voz do colectivo de defesa dos consulados de Portugal em França, entidade que promove a manifestação.
No entanto, e de acordo com António Fonseca, os emigrantes "sentem-se abandonados" pelo governo, que apenas tem "defraudado promessas" e "nada tem feito" em prol das comunidades portuguesas.
"Até agora, os emigrantes tinham apenas direito à música pimba, agora também temos uma política pimba", salientou o responsável para referir que a concentração no Rossio serve igualmente para criticar "o virar de costas do governo aos emigrantes".
Além do encerramento dos consulados, os emigrantes vão também denunciar os problemas existentes com o ensino do português no estrangeiro, a falta de legislação que permite eleições no Conselho das Comunidades Portuguesas e o fim do porte-pago dos jornais regionais para o estrangeiro.
As comissões dos ex-militares no Luxemburgo e em França vão igualmente participar na concentração para reivindicarem a contagem do tempo de serviço militar para efeitos de reformas aos ex-combatentes emigrados.
Segundo António Fonseca, a concentração deverá reunir, ao longo de duas horas, cerca de 500 pessoas, a maioria residente em França, país onde o governo quer encerrar mais consulados.
No âmbito da reforma consular, o governo vai encerrar 11 consulados, criar várias estruturas consulares e despromover consulados para vice-consulados.
Em França vão encerrar os consulados de Versalhes, Nogent, Orleães e Tours, enquanto o de Lille se transforma em escritório consular e o de Toulouse em vice-consulado.
Em Orleães e Tours vão ser criados consulados honorários.
Os serviços dos postos de Nogent e Versalhes vão ficar concentrados no consulado de Paris, que irá ter um horário de funcionamento alargado (das 08:00 às 20:00).
Os emigrantes realizaram, nos primeiros meses do ano, várias manifestações, tendo a contestação dos portugueses residentes naquele país chegado a algumas autarquias de Portugal, que já escreveram ao governo a protestar contra a reforma consular.
Santa Comba Dão, Celorico da Beira, Covilhã, Moita, Ovar, Castro Verde, Miranda do Corvo, Bragança, Batalha, Caminha são algumas das 20 autarquias que já manifestaram solidariedade para com os emigrantes portugueses em França.
António Fonseca disse ainda à Lusa que o Rossio vai se transformar, quinta-feira, "na praça da resistência".
"Os emigrantes resistem há sete meses ao anúncio do governo com protestos. É uma luta nunca antes vista na emigração", salientou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.